domingo, 27 de novembro de 2011

" Parabéns sempre amiga Chica "






sexta-feira, 16 de setembro de 2011

" O bilhete "





Normalmente duas vezes por semana saio da escola direta para o Shopping que fica próximo. O curso de inglês que freqüento fica ao lado e aproveito para fazer um lanche e descansar até chegar a hora da aula.


Estava sentada em uma das mesas da praça de alimentação quando vi no banco ao lado um livro. Alguém o esquecera e como gosto muito de ler o peguei para dar uma olhada. 

Comecei a folhear as páginas após ter lido a sinopse na contra capa. Era um livro de romance que me interessou muito e já que o achei nada me impediria de me deliciar com essa romântica leitura. 


Encontrei um bilhete no meio do livro que dizia os seguintes dizeres:
" Este livro foi esquecido neste lugar justamente para quem o encontrar ler. Depois existe uma regra: passar o livro adiante, ou seja, após o ler fazer o mesmo, deixar em um lugar público e assim dar a oportunidade de que outra pessoa o leia."


Fiquei maravilhada e com certeza iria dar continuidade e passar adiante o livro. Quantos livros que tenho que estava pensando em me desfazer e agora vou fazer o mesmo.


São projetos como estes que devem ser divulgados para incentivar a todos, principalmente a nós  jovens, o hábito pela leitura. "É através da leitura que seremos  capazes de escrever a nossa  própria história".




RSantos




83ª Edição Conto / História
Pauta Bloínquês

sábado, 20 de agosto de 2011

" Será amor? "


Cris estava sendo seguida e não tinha idéia de quem poderia ser. Estava tentando manter-se calma e não entrar em pânico. Ultimamente sua noite de sono era acompanhada de pesadelos em que estava sendo seqüestrada. Sabia que isso tudo era fruto de sua imaginação. Andava trabalhando demais. Precisava mesmo era tirar umas férias.

Tinha quase seis meses que terminara seu romance com Leonardo. Fora um relacionamento que deixara cicatrize. Um forte sentimento os unira e da mesma forma os separara. Por muito tempo ficou abalada de ter sido traída sem a menor consideração da parte dele. Ainda muito jovens achavam que tudo era festa e foi nessa imaturidade que acabaram se machucando. Ele voltou para a Itália, sua terra natal, largando os estudos, os amigos e a deixando sem nenhuma despedida.

Depois que tudo terminou Cris fechou o seu coração dedicando-se integralmente ao seu trabalho de produtora de moda.

Tinha acabado de sair do trabalho e estava a caminho do estacionamento para pegar o seu carro que ficava a duas quadras de distância. Um trajeto que fazia diariamente e agora estava ali com aquela sensação.

No exato momento que passava por uma cabine telefônica a porta se abrira aparecendo a sua frente Leonardo. Não teve tempo nem de se assustar e foi logo perguntando asperamente:
- Que loucura é essa Leo? Precisa ficar me seguindo e aparecer dessa forma me assustando?
- Cris não consigo deixar de pensar em você. Sei que o que fiz foi um erro, mas venho aqui te pedir perdão e que volte para mim. Suplicou Leonardo.

Cris olhou para ele com uma cara de poucos amigos e disse:
- Você vem aqui me pedir perdão, mas não parou para pensar que esse nosso amor nunca existiu. Que foi apenas um momento e nada mais.

Ele a puxou para dentro da cabine telefônica abraçando-a fortemente e roubando um beijo que despertou toda aquela paixão que ainda existia entre eles. Por mais que ela tentasse se esquivar de seus carinhos não conseguia reagir. Tentou abrir a porta, mas ele impediu pedindo que ela fosse embora com ele para a Itália onde morava.

- Parece fácil você chegar agora com essa de eu ir morar com você, mas tenho uma vida aqui, um trabalho e não posso decidir num piscar de olhos. Como posso afirmar que o que sentimos um pelo outro é realmente amor. Tenho minhas dúvidas. Falou Cris ainda meio confusa.

- Se isto não é amor, então como nós sairemos disso? Perguntou Leo.

- Não sei Leo. Precisamos conversar muita coisa e estar aqui nesta cabine não vai nos levar a lugar nenhum. Por outro lado eu estou muito cansada e talvez amanhã eu saiba o que te responder. Foi falando, abrindo a porta e caminhando em direção ao estacionamento.

Leo a acompanhou sem dizer uma só palavra. Pegou sua mão e seguiram juntos sentindo que suas vidas ainda tinham um elo muito forte os unindo.



Rene Santos


20ª Edição Começo e Fim
Tena: Comerçar com "C" e termina "o"


75ª Edição Musical
Projeto Bloínquês
08/07/2011

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

" Entre a arte e o amor"


Juliana freqüentava uma Escola de Teatro que a fascinava em tudo. Além de aprender e desenvolver o dom de representar como a interpretação de histórias as mais variadas, abria o seu coração aflorando os seus sentimentos do que lhe era dado para atuar.

Com o passar dos meses já atuara em algumas peças contracenando com vários colegas, sendo que agora estavam lendo Hamlet de Shakespeare e isso a tinha aproximado muito de Felipe, jovem por quem sentia que estava se apaixonando.

Quando sentavam juntos sentia um arrepio só de encostar-se em seu braço. Essa sensação ela não sabia se era correspondida e teve um dia, antes da aula teórica, que tiveram uma oficina onde tinham que fazer cenas de loucos, dementes, hippies e o que mostrasse ser de mais lunático.

Podiam usar desde lenços, trapos, pulseiras e fantasias das mais diversas. Juliana e Felipe escolheram umas pulseiras. Felipe pegou uma pulseira de corda com uns guizos e deu uma de bobo da corte. A pulseira de Juliana era de fios pretos com umas caveiras e ela escolhera interpretar o vampiro.

E assim cada um transmitiu a sua loucura o que divertiu a todos sendo que nesta história toda ainda havia mais um personagem que era o Pedro, primo de Felipe. Ele era super apaixonado por Juliana e já havia comentado com o primo sobre o seu sentimento que não gostou muito de saber.

Podia-se dizer que o fantasma do amor estava assombrando os corações dos jovens atores no Castelo das Artes e agora era só aguardar se sua aparência era mesmo do Rei Hamlet ou do apaixonado Pedro. Nem pensar em falar de assassinato, pois esse tipo de cena não caberia neste triângulo amoroso.

Será que Felipe seria o príncipe Hamlet determinado a vingar o pai e entrando em conflitos morais aparentando estar louco? Dizem que sua loucura é por causa de um amor mal resolvido com Ophelia, filha do amigo do Rei.

Entre a arte e o amor os personagens vão se encaixando onde Juliana passa a ser Ophelia que rejeitada por Hamlet enlouquece. E ao Rei Hamlet fica a dúvida de ser Pedro ou Felipe.

Como neste espetáculo temos desde fantasmas, assassinos e loucos tudo é possível e aí fica montado o quebra cabeça para quem quiser decifrar.

Quando se tem amor à arte deve se deixar o coração aberto a todos os sentimentos e temos que nos sentir livres para o amor.

RSantos

29ª Edição Roteiro
Pauta Bloínquês   

sábado, 6 de agosto de 2011

" O INCÊNDIO"


Acordei com o Inspetor Fonseca acordando a todos nós no dormitório do Internato. O Colégio estava pegando fogo e só se via o tumulto das pessoas correndo. Dava para ouvir as breves explosões vindas do laboratório de química, no térreo, do refeitório. Ele pediu para que todos descessem e os meus colegas ainda tiveram a coragem de descer do terceiro andar, com cordas, mas eu estava preocupado com a minha irmã Lisa que estava do outro lado, na ala dos dormitórios femininos. Precisava ir buscá-la e não sabia como chegar lá porque estava tudo tomado pela fumaça.


Parecia um pesadelo o que estava acontecendo no Colégio naquela madrugada. Fui esticando o pescoço entre as pessoas, e identificando os locais e as coisas que estavam desaparecendo, mas a falta de claridade não ajudava.  O inspetor   estava correndo para todos os lados pedindo calma e mandando todos descerem.

Estava no terceiro andar onde ficavam os dormitórios e vi que o fogo estava tomando conta de tudo. No segundo e primeiro andares ficavam as salas de aula de química, botânica, história, a Biblioteca, o Auditório e tantos outros lugares que a minha cabeça não conseguia mais pensar. Estava tão apavorado que não conseguia sair do lugar e, quanto mais tentava uma brecha para chegar até o quarto onde estava a Lisa, mais o fogo tomava conta do local.


Desesperado me cobri com um cobertor molhado e fui caminhando no meio da fumaça, mas estava difícil de chegar ao quarto das meninas. O fogo tinha tomado conta e comecei a berrar, a chorar chamando à maninha.
- Lisa onde você está? Estou aqui e vim te buscar maninha.
De repente a minha voz ficou rouca e comecei a tossir ficando ofegante não conseguindo respirar.
Estava quase desmaiando quando senti um braço me puxar colocando-me nos ombros e quando acordei estava do lado de fora sendo socorrido pelos médicos.


Já recuperado a primeira coisa que queria saber era sobre Lisa. Caminhando no meio daquela multidão eu olhava para todos que estavam com o casaco do uniforme. Encontrei com o inspetor Fonseca e com alguns colegas perguntando  se a tinham visto, mas a resposta era sempre negativa.


Continuei minha busca e nada até que escuto uma voz baixinha me chamando.
- Fred, Fred eu estou aqui.
Olhei na direção de onde vinha à voz e para minha alegria lá estava a minha irmã sã e salva.


Olhei para ela bem de perto e sorri de ver que estava bem e sem nenhum arranhão. Ela foi logo tirando os meus óculos que estavam quebrados, olhando para as poucas marcas que ficaram em meu rosto e com todo o carinho nos abraçamos agradecendo a Deus por nada de grave ter acontecido num incêndio de tamanha dimensão.


Havíamos perdido nossos pais cedo num acidente de carro e fomos criados pelos nossos avôs maternos. Desde que a vovó ficou doente, acometida por um câncer, fomos encaminhados para este Internato para concluir o ensino médio. Uma vez a cada quinze dias íamos passar o final de semana em casa aproveitando para visitá-la.


Esperávamos ansiosos a chegada das férias para poder fazer companhia aos nossos avós, visitar os amigos, ir às festas da cidade aproveitando os prazeres da adolescência.


A vida nos mostrara momentos tristes e trágicos, mas estávamos ali unidos em família cheios de amor e carinho o que nos enchia de energia e força para continuar em busca da nossa felicidade.


RSantos

18ª Edição Desafio


Conto origem de 14/05/11
23ª Edição Roteiro
Pauta Bloínquês

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

" A JOVEM APAIXONADA "


Michele estava de férias e não podia deixar de aproveitar e passar algumas semanas na casa de praia de seus pais.

Adorava chegar lá e curtir os dias de sol, os banhos de mar, os passeios pela praia, os encontros com seus amigos, os bailes à noite onde sempre encontrava o Bruno, rapaz que conhecia desde criança, que sentia uma atração enorme e, com o tempo, esse sentimento crescera e agora podia dizer que estava completamente apaixonada.

Ele parecia corresponder, mas nunca que tomava iniciativa e sempre ficavam somente nos olhares.

Foi num Baile a fantasia que tudo parecia um sonho, ele chegou todo alegre, bonito e charmoso ficando o tempo todo ao seu lado. Ela vestida de princesa irradiava uma beleza que encantava a todos.

Em determinado momento Bruno pegou o microfone e para que todos ouvissem perguntou:
- A senhorita pode me conceder o prazer desta dança?
Ele posicionou o microfone em sua direção esperando a sua resposta. Michele o olhou abrindo um sorriso de felicidade respondendo um sim com a voz meio embargada.

Dançaram a noite toda, foram se envolvendo pela música e acabaram se entregando aos seus sentimentos.

Bruno abraçado a Michele chegou bem perto de seu rosto e começaram a ser beijar ardentemente e assim continuaram por um tempo sem dimensão.
Falaram sobre tantas coisas, trocaram carinhos, fizeram juras de amor e quando menos esperavam já amanhecia o dia.

Caminhando pela praia Bruno a levou para casa ficando de ligar mais tarde para marcarem de se encontrarem novamente.

Michele estava cansada, seu corpo adormecido, mas estava tão feliz que não conseguia dormir e acabou indo deitar no sofá da saleta ficando horas fitando o infinito, olhando para o vazio.

Seus pensamentos viajavam por um mundo encantando, seu coração batia forte e estava anestesiada pelo amor.

Quantas vezes sonhara por este momento e agora era realidade. Quanta felicidade por estar ali podendo, pela primeira vez em sua vida, ver aquela jovem apaixonada se transformando em uma mulher cheia de amor.
RSantos

28ª Edição Roteiro

sexta-feira, 22 de julho de 2011

" Uma tempestade de sentimentos "


A chuva caía forte alagando os verdes campos que cercavam as terras da família Lorena. O jovem Duque Henrique de Lorena estava a poucos dias de seu casamento com a princesa Maria Teresa, pertencente à família Imperial da Espanha.

Henrique era um rapaz de um ciúme doentio e ultimamente estava se tornando insuportável. Seguia todos os passos de Maria Teresa e qualquer sorriso ou agrado que fizesse a alguém, de seu relacionamento, já era motivo para uma discussão.

A cerimônia do casamento seria no próximo sábado e muitos convidados amigos e famílias da realeza começavam a chegar. As várias casas dos Lorena estavam hospedando os convidados tornando os dias cheios de encontros nos passeios, nas refeições e propiciando noites alegres.

Eram noites muito agradáveis, cheias de música, danças e papos que não tinham hora para acabar. Tudo isso foi consumindo Henrique que a cada dia ficava mais nervoso e com cara de poucos amigos. Maria Teresa era muito bonita, alegre e estava sempre bem acompanhada de seus primos e primas dedicando menos tempo ao noivo.

Chegara o dia do casamento e tudo já estava pronto. Apesar das fortes chuvas a festa seria nos salões da realeza. No início da manhã Henrique avistou Maria Teresa correndo para se abrigar da chuva. Ela vinha casa da principal e chegou a se assustar quando ele apareceu de repente saindo de trás de uma árvore.

- Henrique que susto que você me deu. O que está fazendo aí parado debaixo dessa chuva? Perguntou ela com o coração ofegante
- Estou te vigiando e não estou gostando do seu comportamento nestes dias. Quero que saiba que você é minha e não quero que fique por aí fazendo gracinhas para esses seus primos. Desabafou Henrique virando o rosto para evitar mostrar o ódio que tinha em seus olhos.

Como ela nada lhe respondera andou em sua direção e segurando o seu braço começou a falar com mais calma e num tom mais carinhoso.

Maria Teresa não gostou da forma como ele agira e já havia percebido o ciúme que ele demonstrava, mas não assim. Isso a preocupava muito e olhando para ele disse:
- Não esperava ouvir isso de você Henrique. Nós vamos nos casar e não pode haver esse tipo de sentimento entre nós. Estar aqui convivendo estes momentos juntos com nossa família e amigos é unir nossos laços, nossas vidas. Hoje é um dia muito especial e deveria ter sido o melhor dia da minha vida, mas não foi.

No meio daquela tempestade estavam os dois estremecidos por sentimentos que jamais deveriam estar presentes. O amor que sentiam não poderia sobreviver a esse ciúme. Era melhor que mostrassem o que realmente eram antes de transformarem suas vidas num inferno.
RSantos


27ª Edição Roteiro
75 ª EdiçãoConto/História

sexta-feira, 1 de julho de 2011

" Uma nova vida "



Chegara verão e com ele o nascer de um novo ano, o nascer de uma nova vida que veio para brindar o nosso amor. O início da gravidez fora bem delicado, pois sentia dores resultantes de contrações que exigia um repouso absoluto.

Vivia praticamente sem sair de casa e que susto levara no dia que desmaiou sendo socorrida pelo seu marido assim que chegou do trabalho. Ele rapidamente a pegou no colo levando-a para a cama e preocupado observava a sua amada.


Assim que ela abriu os olhos sentiu um alívio ao ver o seu amor do seu lado que foi logo falando:
- Meu amor você está bem? Acha que devo ligar para o médico?
- Estou bem e não precisa falar com o doutor, pois ele vai me dar uma bronca. É que fui arrumar as roupinhas de nosso filho no armário e isso deve ter causado esse mal estar. Agora está tudo bem e nada melhor do que continuar nesta cama sem fazer mais arte. Disse ela baixinho.


Ele segurou sua mão pedindo a ela que levasse a sério o repouso. Sabia o quanto estava sendo sacrificante estar ali presa naquela cama. Carinhosamente deitou-se ao seu lado e naquela noite, mal conseguiu dormir.

Passados alguns meses pela primeira vez não sentira dor alguma, pela primeira vez em anos, obteve as respostas às suas perguntas.

Quantos anos tentaram ter filhos e não conseguiram. Seções intermináveis com médicos e especialistas que passavam inúmeros exames e todos os resultados eram desanimadores. Estavam desgastados e deixando de viver em função disso, mas não desistiram e continuaram a luta para ter um filho.

Consultas atrás de consultas e depois todos aqueles exames novamente. Ficamos mais animados após os exames de fertilidade, pois já transcorria mais de 37 dias de ciclo sem nada aparecer o que era um bom sinal.

Estávamos nervosos e ansiosos na expectativa de saber o resultado do teste e quando vimos lá escrito “POSITIVO“ foi uma emoção e alegria que não dava para expressar a grandeza do que sentimos. Choramos de tanta felicidade que parecíamos duas crianças acabando de ganhar o presente dos seus sonhos.

Minha esposa estava grávida finalmente e isso graças a nossa persistência, graças a Deus porque nada na vida acontece por acaso. Você nunca sabe que resultados virão da sua ação, mas se você não fizer nada, não existirão resultados.



RSantos

26a. Edição Roteiro
73a.  Edição Conto/História
Projeto Blóínquês

sexta-feira, 24 de junho de 2011

" O SONHO DE UM AVIADOR "


Paulo Cruz sempre sonhou em ser aviador. Aos quatorze anos passou para o Colégio naval chegando a Oficial . Depois que regressou da viagem de navio pelo mundo foi se apresentar no porto onde estaria servindo.


Chegando lá ficou sabendo que precisavam de voluntários para servir na base de São Pedro da Aldeia para ser piloto de helicóptero. Não pensou duas vezes e lá foi ele aprender a profissão com que tanto sonhava.


Exerceu a função de piloto-aviador e transitou por diversos setores dentro dela por merecimento. Até que conseguiu ser declarado um dos melhores astronautas da NASA.

Participou ao lado de russos e americanos de uma missão na ISS-Estação Espacial Russa,onde o Brasil participou com seus experimentos na área, mostrando sua tecnologia. Foram 8 dias de experimentos à bordo da referida estação espacial.

Após a missão, Paulo Cruz foi transferido para a reserva militar pelo Comando das Forças Armadas, onde na função civil de astronauta desenvolve serviços e ministra palestras a serviço do Brasil.

Em suas palestras ele revela que o segredo do sucesso é nunca desistir, mesmo quando outros duvidarem da sua capacidade de atingir grandes e bons objetivos.


RSantos




6ª Edição Profissão
Projeto Bloínquês
A história aqui relatada foi pesquisada na Internet e tem alguns fatos verídicos, sendo nomes locais fictícios.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

" Vizinhos Apaixonados "

Após alguns meses morando no mesmo Condomínio Diana e Rodrigo já não conseguiam esconder o interesse que um sentiam um pelo outro.

Suas casas ficavam uma frente à outra e por mais que não quisessem se encontrar não havia como evitar, pois a entrada de acesso era a mesma.

Tinham rotinas em comum como fazer a caminhada matinal, usar o salão de ginástica à noite, curtir uma piscina nos finais de semana e até algumas vezes, em dias quentes, passear pelos jardins do Condomínio.

No dia da mudança de Rodrigo houve uma grande movimentação e foi quando Diana o conheceu. Ficou encantada com sua simpatia, seu sorriso, seu olhar e com sua voz quando se apresentou.

- Olá como vai? Sou seu mais novo vizinho e pelo que vejo estamos um de frente para o outro. Comentou Rodrigo abrindo um belo sorriso.

- Oi tudo bem? É verdade vamos um ser vigia do outro. Muito prazer sou Diana e seja bem vindo. Disse estendendo a mão para cumprimentá-lo.

- Sou Rodrigo e agradeço a acolhida, respondeu apertando a mão de Diana.

Assim foi o primeiro encontro do casal de vizinhos que dali em diante passaram a se encontrar quase diariamente. Ora se encontravam em suas caminhadas ou no salão de ginástica e sem contar os encontros na piscina.

A cada encontro contavam mais um sobre o outro e todos os moradores já percebiam que eles estavam apaixonados, mas faltava pouco para começarem a namorar.

Houve uma comemoração no sábado com direito a churrasco organizado por um dos vizinhos que comemorava seus cinqüenta anos. Todos foram convidados e Diana e Rodrigo estavam lá se divertindo e sempre sorridentes.

Em determinando momento Diana disse:
- Vou até em casa pegar a máquina para tirar umas fotos da festa.

Sem dar a perceber Rodrigo a seguiu e quando chegou à frente da entrada da garagem a chamou:
- Diana?
Ela se virou e ficou com seu rosto bem pertinho do dele que não contendo mais o seu desejo lhe deu um beijo apaixonado.

Olharam-se ternamente mantendo as mãos dadas quando Rodrigo disse:
- Diana como esperei tanto por este dia meu amor. Você é tão linda e estou tão apaixonado que não consigo pensar em outra coisa.
- Parece que nossos sentimentos são os mesmos. Também não consigo deixar de pensar em você, falou Diana oferecendo seus lábios para Rodrigo beijá-los novamente.

Foi um longo e interminável beijo que selou o começo de um grande amor.


RSantos

74a. Edição Musical
Projeto Bloínquês
imagem  meme

sábado, 11 de junho de 2011

" VIVER EM ALEGRIA - DIA DE FESTA E MUITO PARA COMEMORAR"




Olá a todos!
Hoje é um dia especial, é o dia do aniversário do blog Coisinhas da Chica da minha amiga .


Parabéns para esta  joaninha que merece muitos e muitos anos de vida!

Rene Santos


Imagens google

sexta-feira, 3 de junho de 2011

" Somos iguais "


O tempo passou tão rápido que nem percebi. Estou aqui sentado neste sofá onde passei momentos tão gostosos em companhia de Vanessa. Tão linda, alegre, amorosa que encheu os meus dias de tanta felicidade.

Hoje esta sala está vazia e sem vida. Sinto a minha respiração fazer eco no ar, uma tristeza, uma saudade tão grande que não consigo ter vontade de fazer nada. Estou prostrado, sem ação, totalmente apaixonado como nunca estive por alguém.

Ontem estávamos aqui iguais a dois adolescentes, rindo à toa, assistindo a um filme e brincando de jogar pipoca um no outro. Depois ficamos abraçadinhos tentando aproveitar intensamente as últimas horas antes de sua volta para casa.

Quando seu avião decolou senti vontade de largar tudo e voltar para minha terra natal. Voltar para as minhas raízes deixando de lado as realizações que almejava em me tornar um grande cirurgião dentista.

Parei para pensar desde a nossa infância, do nosso tempo de adolescentes e da separação quando as nossas vidas tomaram rumos diferentes. Sempre tive notícias de Vanessa através de minha família e foi num dos papos pela Internet que ela resolveu passar suas férias no Rio e logo ofereci dela ficar aqui em casa.

No dia de sua chegada fiquei vislumbrado ao ver como tinha se transformado numa linda mulher. Uma jovem que volta e meia aparecia em meus sonhos agora estava ali ao vivo. Que alegria contagiante ao nos vermos. Corremos para nos abraçarmos e dali para frente o que não faltava era assunto.

Gostávamos das mesmas coisas, curtíamos os mesmos tipos de filmes, músicas e me lembro do dia que ela chegou para mim e disse:
- Sei que não podemos viver separados. É só questão de tempo para que isso aconteça.
Como sempre fugi de ter compromissos sérios nem respondi e foi quando ela acrescentou:
- E sabe por quê? Porque nós dois somos iguais e fomos feitos um para o outro.
Levei aquilo na brincadeira e lembro que apertei o seu nariz com carinho e a beijei com todo o meu amor.

Agora aqui sozinho é que entendo o quanto ela estava certa. Não quero mais viver aqui sem a sua companhia e vou correndo buscar o amor da minha vida.

RSantos




25a. Edição Roteiro
71a. Edição Musical
Projeto Bloínquês

sábado, 28 de maio de 2011

" A GRANDE CHANCE"

Sarah era fotógrafa e redatora de uma revista de arte e cultura exercendo suas atividades sem grandes perspectivas. Vivia na comodidade da rotina de trabalhos sem muito a acrescentar a sua carreira. Cobria matérias sempre em sua cidade Natal e esperava um dia trabalhar em coberturas Internacionais viajando pelo mundo.

Curso de especialização era o que não lhe faltava e dominava plenamente o inglês e espanhol.

Há uma semana recebera a missão de visitar algumas cidades nos Estados Unidos fazendo uma matéria sobre as Lojas de Arte de um modo geral e o perfil de seus clientes.

Em qualquer ambiente uma obra de arte cai bem, seja ela uma natureza morta, uma paisagem, uma escultura ou um quadro abstrato. A arte não tem regra e se molda a cultura e ao gosto do consumidor. Foi dentro dessa linha que Sarah procurou evidências que mostrassem o seu valor e importância.

Era sua grande chance de mostrar um bom trabalho para conseguir a promoção tão esperada de atuar em matérias Internacionais.

Miami foi a primeira cidade que selecionou para iniciar o seu trabalho tendo em vista o seu crescimento no mundo das artes plásticas. Escolheu o Shopping Miami Design District para passar o dia fotografando e colhendo informações para a sua matéria.
Passou a manhã toda caminhando, fotografando e anotando tudo que via. Parou em frente a um bebedouro de água natural que lhe chamara atenção. Além de tirar algumas fotos aproveitou para matar sua sede bebendo aquela água fresquinha utilizando as mãos como assim faziam os primitivos. Em plena praça poderia se constatar uma peça de arte que era utilizada por todos que ali transitavam.

Pegara a máquina que havia deixado no parapeito da fonte e olhou rapidamente os cartazes de filmes em exposição na vitrine de uma Locadora. Entrou em uma nova rua onde havia um movimento maior e continuou com sua câmera sempre captando novas imagens e aproveitando a luz do dia.

O fotógrafo de uma revista precisa não só registrar o fato, mas captar a essência dos momentos. Foi assim que Sarah encerou a seção de fotos e foi até um café local e se acomodou em uma das mesas. Fez um breve lanche acompanhado de uma taça de vinho que ficou sobre a mesa. Pegou sua mochila retirando seu notebook e aproveitando o lugar agradável para baixar as fotos e digitar a matéria colhida com todas as suas observações. Como tinha um dia para pesquisar um ponto em cada cidade tinha que fechar cada edição no calor da emoção para não esquecer nenhum detalhe.

Assim que terminasse iria logo para o Hotel a fim de tomar um banho, descansar e ter uma boa noite de sono porque pela manhã, bem cedinho, estaria partindo para Nova York vislumbrando a estátua da Liberdade, mas seguindo em direção ao Times Square para passar o dia perdida no cruzamento da Broadway com a Sétima Avenida deixando a lente da Câmera captar as emoções da beleza, cultura e arte espalhadas nesta área.

Ainda iria visitar mais algumas cidades no intuito de ter material suficiente para concluir sua matéria que tinha o prazo de uma semana para entregar. Estava ali a trabalho e sabia que não teria tempo para curtir essa viagem, mas os frutos que colheria era a oportunidade profissional tão esperada para ter no futuro grandes alegrias.


               


RSantos

4a. Edição Profissão
Fotógrafo

17a. Edição Roteiro
imagem do projeto Bloínquês
de 01/04/2011

sexta-feira, 13 de maio de 2011

"Minha doce mamãe"


Minha mamãe não para o dia todo, anda, abaixa , levanta sempre fazendo um trabalho na casa. Vejo que vai para a cozinha , escuto barulho de água e ela lavando e fazendo comida.

Estou curiosa para saber porque ela tem que fazer isso tudo. Escuto-a conversando com minha irmãzinha que ainda não sabe falar e volta e meia cai no choro. Então pega ela no colo e parece que vai cair em cima de mim e, aqui dentro, o meu espaço fica pequeno. Minha irmãzinha está chorando e pisando em cima da mamãe e parece que não vai parar de chorar , mas de repente fica um silêncio...

Fico muito contente quando está esse silêncio e minha mamãe começa a cantar: “Nana, nenê, do meu coração...” e aí fico quietinha e descanso um pouquinho também.

Não passa muito tempo a mamãe começa de novo a caminhar para tudo quanto é lado que fico até meio tonta... Escuto barulho e ela arrumando a mesa e logo o papai vai chegar.

Escuto a voz dele, está chegando! Eles estão conversando, mas depois de um tempo começam a falar mais alto e aí começo a escutar uma música e as vozes deles vão sumindo.

Minha mamãe fica muito cansada de trabalhar tanto que quando vai dormir ela respira bem fundo, faz uma oração e aí pronto já não escuto mais nada, acho que ela já dormiu e eu também faço o mesmo.

No meio do sono começo a pensar de que como será quando eu sair daqui. Será que vou poder ajudar a mamãe a trabalhar menos? Será que papai vai ficar mais calmo e vai conseguir um bom trabalho para melhorar a nossa vida ? E a minha irmãzinha será que vai chorar menos e ser minha amiga?

Claro que nada disso importa porque o que quero logo é sair daqui e poder ficar no colo da mamãe, a ouvir contando histórias para mim, cantando para eu dormir. Quero sair daqui e ir trabalhar com o papai . Quero sair daqui e poder brincar com minha irmã.
Quero nascer e viver a vida lá fora e sentir de perto a minha mamãe e saber amar também.

Quero que, quando eu nascer, que o céu esteja cheio de estrelas , que venha o meu anjo da guarda para tomar conta de mim e de você mamãe a quem desejo muita felicidade.

Quero que o arco íris ilumine nossos caminhos e que todos possam vir conhecer a minha doce mamãe.

Como vai ser maravilhoso aprender com ela a caminhar pela vida e poder chamá-la de “ mamãe”.

Minha querida mãezinha , obrigado por ter me dado a vida, guiado os meus passos e me feito tão feliz. “Eu te amo e te amarei eternamente".

RSantos

"Mãe você é a razão por eu existir "

59ª Edição Opinativa
Bloínquês


Postagem de maio 2010
Blogueando 29a. Edição
2º Lugar
(Imagem retirada da NET)

sexta-feira, 6 de maio de 2011

" UM MOMENTO A DOIS"


Tem dias em nossas vidas que parece que o mundo vai desabar e aquele dia para Francine estava sendo assim. Seu coração disparava tamanha era à ansiedade de conversar com o Rick, dividir com ele esse momento que misturava sentimentos de alegria e de medo ao mesmo tempo.

Francine e Rick se conheceram na Faculdade, se apaixonaram e decidiram morar juntos. O tempo foi passando e essa união já tinha três anos compartilhados com muito amor e companheirismo. A vida não era fácil para os dois que tinham que trabalhar e estudar para poderem pagar as contas e sobreviverem.

Faziam planos para o futuro, estavam no início de suas carreiras e se dedicavam ao máximo para conquistarem seu lugar ao sol.

Queriam muito construir uma família, terem a sua casinha com uma linda vista e uma varanda para ao final do dia sentarem juntinhos jogando conversa fora, contando como passaram o dia, trocando juras de amor e abraçadinhos esperariam a note chegar que os embalaria para uma linda noite de amor.

Francine marcara de se encontrar com o Rick na ponte que ficava a poucos metros de casa para seguirem juntos caminhando sobre as camadas finas de neve e brincando como duas crianças de contar as pegadas que faziam por onde pisavam. Chegara primeiro e enquanto esperava seus pensamentos disparavam procurando as palavras para contar o que tinha acontecido que poderia mudar suas vidas. Estava aflita, pois sabia que independente do que o seu coração quisesse o mais importante para ela era a opinião de Rick. O seu amor por ele era tão grande que qualquer dor seria suportável e o tempo ajudaria a cicatrizar.

Estava entregue aos seus pensamentos quando vê Rick chegando e mesmo sorrindo seu coração estremece, suas pernas ficam trêmulas, mas respira fundo para não dar a perceber sua ansiedade.

Rick chega todo feliz e animado e corre para abraçá-la e beijá-la dizendo:
- Minha deusa como você está cheirosa, tão linda, disse abraçando-a, acariciando seu pescoço enchendo de beijinhos.
Francine se entregou as suas carícias e seu coração disparava de tanto amor e felicidade que sentia. Aproveitou esse momento e com a voz um pouco arranhada disse:
- Rick eu preciso muito te contar o que está acontecendo comigo. Queria que você soubesse que o amo muito e o que você decidir será feito.
Rick se afastou um pouco, segurando carinhosamente seu rosto com as mãos, encostando sua testa na dela e falou:
- Conte- me tudo que estou aqui para ouvir e ajudar no que for preciso.
Francine engoliu em seco, molhou os lábios e então disse:
- Rick hoje fui pegar os meus exames e recebi a notícia de que estou grávida. Confesso que estou muito feliz com essa notícia, mas ela só será completa com a sua felicidade também. Estamos passando um momento difícil em nossas vidas, e tudo é contado aqui em casa e esse filho vem numa hora que teremos que abrir mão de muita coisa. O que você me diz meu amor? Chegastes tão alegre e eu aqui estou te dando essa notícia que talvez em outra época estivéssemos pulando de alegria.

Rick foi ouvindo o que Francine falava, palavra por palavra, olhando cada expressão de olhar, seus lábios se mexendo, mas na verdade era uma notícia que o havia deixado mudo. Francine chegou perto dele e perguntou o que ele tinha para dizer. Como num despertar olhou para ela e disse emocionado:
- Amor da minha vida você não sabe que notícia maravilhosa você acaba de me dar, você vai me dar um filho o que mais quero nesta vida? Sou a pessoa mais feliz do mundo e ainda mais que acabei de receber uma promoção no trabalho e agora sou o Gerente da área de Engenharia.

Francine emocionada e com os olhos cheios de lágrimas não teve tempo de dizer uma palavra porque Rick a encheu de beijos o que para ela era só alegria e felicidade.

Seguiram abraçadinhos sentindo o calor de seus corpos e um coraçãozinho batendo que era o fruto desse amor.


RSantos


22a. Edição Roteiro
Pauta Bloínquês
Imagem projeto
ism

sexta-feira, 29 de abril de 2011

" O SEQUESTRO "


Antony era um empresário de sucesso e sempre envolvido em seus negócios o tempo que dedicava a família era quase que nenhum. Quanto mais dinheiro ganhava não o deixava satisfeito e a ambição que tinha parecia doentia.

Naquele dia por volta das 18 horas ele atendeu uma ligação em seu celular. Do outro lado da linha uma voz masculina com tom de malandro explodiu no seu ouvido dizendo:
- Meu chapa quero avisar que é um sequestro. Estou com sua esposa e sua filha, não desligue o celular e não tente avisar a polícia.

Para confirmar o que diz o sequestrador coloca ao celular uma voz de menina chorando e pedindo socorro.

Em pânico ele chama pelo nome da menina e pergunta pela esposa e aí o bandido volta a falar:
- Senhor, sua filha Sabrina e sua esposa estão comigo e se não colaborar nós vamos barbarizar com elas, a garotinha e sua mãe são muito bonitas e gostosas. Agora escuta bem o que quero é dinheiro e tem que ser agora ouviu?

Apavorado e sem saber como agir ele desliga o celular. Depois é que percebeu o erro que havia cometido e cobrindo o rosto com as mãos começa a chorar.

Estava de uma forma que não conseguia raciocinar, tentava se acalmar e colocar os pensamentos em ordem. Estava difícil e a aflição e desespero aumentava. Apertava as mãos na cabeça pedindo ajuda a Deus para que o seqüestrador voltasse a ligar e ele conseguisse conversar com mais calma e acertar a entrega do dinheiro.
O celular não tocava e isso o estava levando a loucura, olhava para o relógio e só via o tempo passar imaginando o que poderiam estar fazendo com sua esposa e filha.

De repente como um milagre lembrou que sua esposa avisara que depois que pegasse a Sabrina no curso de inglês iria visitar a mãe no hospital que tinha se submetido a uma cirurgia vascular.

Rapidamente pensou que poderia ter sido um blefe aquela ligação e correu para ligar para o celular da esposa. Para sua felicidade ela atendeu e aí disparou com uma série de perguntas.

- Amor você está bem? A Sabrina está com você? Está tudo bem? Estão no hospital ainda?
- Estamos saindo do hospital, está tudo bem e estamos indo para casa. O que está acontecendo para você me encher de perguntas?
- Estou indo para casa também e te explico pessoalmente.
- Vai chover hoje para você estar saindo a esta hora. Independente do que aconteceu estou muito feliz em podermos jantar juntos.
- Vou jantar com vocês e quero estar mais presente a partir de agora. Até já meus amores.

Que susto levara e quantos casos parecidos com este já havia tomado conhecimento, mas servira de lição para tomar mais cuidado, pois o bandido sabia o seu celular e sobre sua família. Será que estava sendo vigiado?

Tinha muito que pensar e mudar na rotina de sua vida. O mais importante era se dedicar mais a sua família e não fazer do trabalho uma obsessão.

RSantos

21a. Edição Roteiro
Imagem Projeto
Bloínquês

sábado, 23 de abril de 2011

" UMA PARTIDA SEM DESPEDIDAS "


Bela e elegantemente vestida Isadora chegara à estação ansiosa em partir o mais rápido daquele lugar.

Tomara a decisão de retornar para o lugar onde nascera, sua terra Natal, onde estavam as suas raízes, onde estaria protegida e amparada.

Estava partindo sem despedidas, deixando para trás todas as tristezas e mágoas de um casamento fracassado, de um amor cheio de tortura e sofrimento.

Colocara um ponto final neste sonho que se perdera pelos caminhos da vida.

Quantas vezes soube que ele a traia atingindo em cheio o seu coração, mas sofria calada com medo de perdê-lo, de não mais o ver.

Fingia que dormia quando, quase como uma pluma, ele deitava ao seu lado exalando ainda o cheiro da noite de pecado.

Chorava em silêncio desejando tanto estar nos braços de sua mãe que sempre a aconselhava e orientava. Lembrava-se de suas palavras quando aceitara se casar e morar num lugar tão distante dos seus.
- Isa, minha filha, quero que saiba que ainda que pensares em retornar de onde veio, lembre-se do porque foi para lá.

Cega pelo amor nem ligava para o que dizia a voz da experiência que só queria o melhor para sua filha.

Fora companheira, amiga, mulher que sempre estivera presente reparando os seus erros, escutando seus desabafos, cuidando quando estava doente, aturando as suas ressacas e nunca recebera o devido valor por isso.

O tempo se encarregara de acabar com este sentimento que havia em seu coração e cansada de tudo o que mais queria era seguir para uma nova vida longe dali. Descobrir coisas novas, sentir vontade de viver, sentir ser amada novamente e recomeçar procurando recuperar esse tempo que perdera.

Com a certeza absoluta da decisão que tomara arrumou suas malas e saíra de casa sem olhar para trás uma só vez, seguindo em frente para viver um novo presente e passando a borracha nesse triste passado.

Pensou em avisá-lo, mas achou melhor que ele descobrisse e que parasse para refletir em tudo o que fizera. Que olhasse para dentro de si mesmo descobrindo o quanto era um cara vazio e fracassado.

O seu trem chegara e em poucos minutos estaria retornando de onde viera e deixando para trás um passado que para a sua felicidade não seria mais um empecilho.

RSantos


13a. Edição Gênero Situação
Tema: Qualquer parágrafo
"Ainda que pensares em retornar de onde veio, lembre-se do porque foi para lá"
17a. Edição Começo e Fim
Tema:Começar com a sílaba "Be" e terminar com sílaba "lho"

Pauta Projeto Creativité

Imagem Net

sexta-feira, 22 de abril de 2011

" Um grande amor que recomeça "


Já estavam separados há algum tempo e quis o destino que voltassem a se encontrarem.

Wesley e Lívia compartilharam juntos muitas emoções, desejos e um mundo de planos e esperanças para o futuro. Envoltos em seus anseios profissionais e ainda jovens decidiram seguir suas vidas em separado.

Foram morar em países diferentes aceitando oportunidades de trabalho que pesava mais do que os sentimentos que sentiam um pelo outro. Eram jovens e cheios de sonhos a realizar e precisavam crescer e amadurecer como seres humanos e tentar conquistar o seu lugar ao Sol.

Por coincidência ambos vieram visitar seus pais, rever a família e a terra Natal na mesma época. Suas famílias moravam no mesmo bairro e um belo dia se encontraram fazendo a caminhada matinal. Ficaram por algum tempo sem palavras, olhos nos olhos, coração disparando até que se abraçaram carinhosamente e falando da saudade que sentiam e de suas vidas, enfim rolou um interminável papo.

Tinham muito que contar e aquele sentimento ainda mantinha a sua chama acesa o que logo foram combinando de saírem para jantar e continuar a conversarem.

Jantaram a luz de velas num restaurante a beira mar, conversaram bastante, dançaram juntando seus corpos e despertando o sentimento e desejo que ainda havia entre eles.

Depois do jantar foram caminhando pela orla abraçados, trocando carícias e beijos. Envolvidos nesse desejo terminaram fazendo amor com seus corpos sedentos de paixão. Estavam ali na mesma cama felizes e se olhavam sem saber o que falar de tanta felicidade.

Wesley sentou-se de lado na cama e olhando para Lívia disse:
- Meu amor como é bom estar aqui com você depois de tanto tempo afastado de você. O que aconteceu aqui só veio a confirmar que um grande amor não acaba nunca, nem pelo tempo e nem pela distância.

Lívia escutou aquelas palavras que a emocionaram demais e tocando suas mãos olhou apaixonadamente para ele dizendo:
- Comecei a lembrar apenas das coisas boas que nos cercavam, da maneira como você me tocava, das palavras ternas que dedicávamos um ao outro, do seu jeito de me olhar mostrando amor e desejo que me levavam nas nuvens. Amor foi como se eu pudesse sentir tudo outra vez, foi como se eu ouvisse novamente o som da sua voz penetrando os meus ouvidos.

Wesley ficou olhando e deixando Lívia falar porque era o que mais queria continuar ali ao seu lado para sempre.

E Lívia acariciando as suas mãos continuava a falar:
- Pensei que apesar de vivermos outras realidades hoje, que apesar de estarmos mais velhos, poderíamos ceder, sem nenhum temor, a este sentimento belo e forte que nos uniu um dia e que, pelo menos em mim, parece estar mais vivo do que nunca!

- Porque não podemos começar tudo de novo? Perguntou Wesley com firmeza.

- Wesley, meu amor, é o que mais quero nesta vida.

E depois dessa resposta não houve mais nada que pudesse separar aqueles dois que se entregaram aqueles momentos que pareciam não ter fim.

RSantos



20a. Edição Roteiro
Imagem Projeto
65a. Edição Musical
Pauta Bloínquês

A minha participação para a 20a. Edição Roteiro quando cheguei a comunidade para deixar o link já havia fechado e então retirei, mas só o fato de deixar aqui o o meu texto já me é gratificante.

sábado, 16 de abril de 2011

" A SUA FELICIDADE "

Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração tenha a certeza de que está apaixonada.

O amor chegou a sua vida e você não consegue fazer mais nada a não ser ficar em frente à janela olhando para o vazio, sonhando em encontrá-lo novamente, se envolver no seu olhar e seu corpo vibrar de tanta emoção e prazer.

Daniele mora sozinha desde  a morte de sua mãe. É professora e trabalha uma parte do dia lecionando numa escola do bairro. Seus parentes moram em outra cidade distante e tem alguns amigos que são da escola ou do próprio bairro.

Gosta muito de ler e de trabalhos manuais, com que se ocupa o resto do dia além dos afazeres da casa.

Reside em uma cidade pacata de interior e agora com a descoberta de um poço de petróleo vem crescendo o número de pessoas que vem a trabalho e muitos que estão ficando para morar.

Foi assim que ela conheceu o Fred que alugou um apartamento no mesmo prédio e no mesmo andar do seu.

Todos os dias pela manhã se encontram ao saírem para trabalhar e assim que se conheceram. Tudo começou com um simples bom dia e que a cada dia ia se somando novos assuntos.

Ficaram amigos e agora já seguiam uma parte do caminho juntos conversando, contando sobre suas vidas e muitas vezes rindo de alguma coisa engraçada.

Um dia Fred bateu a sua porta no final da tarde trazendo uma xícara de chocolate quente para ela provar. Daniele sem graça o convidou para entrar e bateram um longo papo enquanto saboreavam o delicioso chocolate quente.

Entre encontros e chocolates quentes Daniele foi se apaixonando pelo seu vizinho, o seu tão sonhado príncipe encantado. Tinha seus receios, pois pouco sabia de sua vida e já havia se apaixonado uma vez, talvez não tão doce e embriagante como agora.

Quando se apaixonou pela primeira vez era muito jovem e inexperiente o que a levou a fazer loucuras. Graças a Deus a sua mãe estava a seu lado dando todo o apoio, carinho e orientação que uma filha precisa nessas horas.

Sua mãe sempre dizia que a vida é um jogo e que temos que saber dar as cartas, mas nem sempre se pode sair vencedores. E quando acontecer de você ser o perdedor saiba como agir com dignidade, caráter e não fazer nada que deponha contra a sua honra e princípios.

Tinha consciência de tudo isso, mas o que importava era que ela estava loucamente apaixonada, já não era mais adolescente  e sabia onde estava pisando.

Era o amor de sua vida e iria vivê-lo intensamente enquanto durasse. Nesse jogo iria colocar as cartas com maestria e lutaria com todas as forças para  sair vencedora porque ali estava como prêmio a sua felicidade.


RSantos

12a. Edição Gênero- Situação
1º Páragrafo: "Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração..."
16a. Edição De-sa-fio
Tema: Perdedor