sábado, 26 de março de 2011

" O NOSSO AMOR ACABARA "



Estava um dia lindo e como seria bom aproveitar este sábado para dar um passeio, para namorar e conversar tudo que viesse a cabeça. Fazer planos para viajar, ter filhos e tantas outras coisas que era só felicidade. Assim era o nosso casamento e não podia me queixar.

Agora o nosso relacionamento estava um tanto abalado e já fazia uns dois meses que quase não nos falávamos. Queria tanto entender qual o motivo que o levou a agir com tanta frieza a ponto de não me sentir mais amada. Estava muito triste e infeliz não desabafando com ninguém o que eu estava passando. Esse silêncio, essa minha acomodação estava me levando a uma depressão muito grande.

Quando chegava o final de semana eu ficava prostrada e se deixasse dormia o dia inteiro. Levantei no meio da tarde, peguei um copo d’água e fui para a varanda do apartamento respirar um pouco de ar puro e admirar as flores das árvores, o lindo céu azul que me enchiam de novas energias para suportar aquele abandono.

Aquele grande amor estava enfraquecendo e ele praticamente não me procurava, não tínhamos mais um momento a sós  e quando tentava me aproximar ele disfarçava e inventava algo para fazer ou para sair de casa. Como eu posso demonstrar amor por uma pessoa que dia após dia após dia vive me rejeitando?

O que poderia imaginar que teria acontecido para ele agir assim me ignorando como se eu não existisse? Para mim ele estava muito doente ou tinha outra mulher e eu era uma boboca que estava ali muda sem reclamar meus direitos exigindo uma explicação.

Realmente eu tinha que reagir e não continuar naquela inércia. Todos os dias eu tomava todas as preucações para que nossos caminhos se cruzassem o mínimo possível. Isso já era um sinal de que o nosso amor acabara e que aquele casamento era uma farsa.

Estava decidida a colocar um ponto final nessa situação, pois tinha uma vida inteira pela frente para ser desfrutada e não ficaria ali entregue as baratas aceitando as condições de um homem perturbado. Acho até que é isso que ele está esperando que eu tome a decisão. Então ela já está tomada e amanhã mesmo vou conversar com meus pais e procurar um advogado pedindo o divórcio.

Quando nos apaixonamos loucamente vivemos momentos inesquecíveis e achamos que será para sempre. Aprendi que isso é uma doce ilusão e que felizes daqueles que tem a felicidade de encontrarem a sua alma gêmea.

Não consegui acertar na primeira tentativa, mas muita coisa boa tirei desse casamento, muita experiência e muito aprendizado que só me ajudará a ser mais cautelosa na busca da minha felicidade.

RSantos

15a. Edição Desafio
Tema: a sós
Projeto Creativité

Participação Ouat
63a. Edição Filme e Livro
16/01/2011
imagem NET

sexta-feira, 25 de março de 2011

" Que loucura "

Olhei para a janela preocupado que alguém estivesse nos vendo e essa preocupação estava me tirando o controle. Como pude deixar me levar por essa paixão de adolescente e ter saído com uma funcionária da empresa.

Que loucura a minha arriscando o meu cargo de diretor e o pior o meu casamento. Como poderia imaginar que teria que seguir pela mesma via para poder deixá-la em casa.

A Avenida estava movimentada e cada carro que passava imaginava que poderia ser alguém conhecido. Preocupado com tudo e arrenpedido do que fizera não pensei duas vezes. Parei o carro no acostamento dando dinheiro para ela pegar um taxi e pedi que saltasse ali mesmo.

Tranquilamente e com um sorriso irônico ela saltou e fechou a porta do carro ficando imóvel esperando eu dar a partida.

Segui o meu caminho e pelo retrovisor vi que ela sentou na passagem do meio fio, cruzou as pernas e ficou olhando na minha direção.

O dia foi cheio de loucuras e sei que ali não seria fácil dela pegar um táxi, mas era esperta o suficiente para achar o caminho de volta. Isso poderia se perceber através de sua atitude e postura em ficar ali sentada na maior calma.

Apesar de me achar muito esperto e pensar que sei tudo aprendi que neste mundo a vida ensina a muitos jovens a serem interesseiros e procurarem oportunidades que possam lhe dar uma boa posição financeira, mas com isso correm riscos muitas vezes perigosos.

RSantos

61a. Edição Visual
imagem projeto

" UMA LONGA ESPERA "


Uma longa espera por um doador finalmente terminara. Joana sofria de insuficiência renal desde menina passando por várias fases que foram se agravando. Chegou à fase que já era uma paciente que necessitava de seções de hemodiálise constantes. Cada dia se agravava mais sendo vital o transplante dos seus dois rins. Infelizmente nenhum de seus familiares era compatível para ser doador.

Apesar de tudo Joana era incansável em continuar seus estudos e este ano prestaria vestibular para tentar uma vaga para cursar Engenharia da Produção.
A notícia chegou rapidamente e num piscar de olhos ela já estava na sala de cirurgia fazendo o transplante dos seus rins. A operação transcorreu dentro da normalidade e agora era esperar que não houvesse rejeição.

Joana deixara com seu irmão um caderno com as principais anotações da matéria que cairia na prova. Pediu a ele para assim que ela estivesse no quarto, mesmo meio sonolenta, que lesse em voz alta porque sabia que se entendesse era porque estava tudo muito bem.

A operação durou algumas horas e seus familiares ficaram ansiosos aguardando notícias. Para a alegria de todos a cirurgia transcorrera com sucesso e Joana passaria a noite no CTI indo para o quarto no dia seguinte pela manhã.

Seus pais ficaram de voltar pela manhã e seu irmão Carlos permaneceu no Hospital aguardando a chegada dela no quarto.

Assim que amanheceu Joana já estava no quarto ainda dormindo, mas com ótima aparência. Carlos se ajeitou ao seu lado na cama com o seu caderno nas mãos e começou a ler baixinho para a irmã. Joana estava de olhos fechados e seus lábios esboçavam um sorriso. Carlos olha para a irmã e continua a sua leitura e de repente Joana começa a sussurrar continuando o texto que ali estava escrito. Ela para de falar e Carlos olha para o caderno e continua lendo feliz em saber que está tudo bem.

Joana estava ali superando uma das piores etapas de sua vida e com a determinação e força de vontade que tinha nada poderia impedi-la de sair dali recuperada e conseguir passar no vestibular.

RSantos

15a. Edição Começo e Fim
Tema: começar com a letra "U", e terminar com "r"
Projeto Creativité

16a. Edição Roteiro
Imagem Projeto BLQ






sexta-feira, 18 de março de 2011

" AS IRMÃS "


Estava para completar um ano desde a morte de Joyce, sua irmã mais velha, num acidente de carro que chocou toda a família.
Jeniffer ficara muito abalada e sua vida desde então não foi à mesma.
Tinha crises de choro, pesadelos precisando de um acompanhamento médico para ajudá-la a superar essa tristeza. Recebia também o apoio da família que fazia de tudo para que ela pudesse voltar a ter uma vida normal aceitando a morte da irmã. Sua mãe morrera de parto no seu nascimento e, em menos de um ano depois, seu  pai casara novamente.

Isso fez com que se unissem ainda mais  e Joyce por ser mais velha a protegia cuidando dela com um amor maternal.

Joyce formou-se em Comércio Exterior crescendo profissionalmente, tornando-se uma grande executiva e conquistando sua independência muito cedo. Assim que pode comprou seu apartamento e levou sua irmã para morar com ela. As duas viviam felizes e como Joyce viajava muito a Jeniffer era quem cuidava de tudo além de estar terminando a Faculdade de Economia e trabalhando em uma empresa de Auditores.

Jeniffer largara todas as suas atividades e mesmo em tratamento vivia o seu mundinho junto de sua irmãzinha e quantas vezes sua tia a pegara falando sozinha com o espelho.

Havia na sala de jantar um quadro com uma linda paisagem e era ali que ela conversava com sua irmã. Sua querida irmã estava ali sentada embaixo daquela árvore esperando por ela, mas queria saber que lugar era aquele e começava a conversar normalmente com o quadro.
- Joyce que bom que você está aí.Como gostaria de estar junto de ti e poder acalmar esta dor que arde dentro de mim.

Falava com a voz carregada de emoção começava a fazer carinho na tela. Sentia tudo muito real e imaginava que a sua irmãzinha querida a estava vendo através de um grande espelho naquele lindo jardim e tocando a sua mão também. Continuava a sua conversa de mão única onde só ela sabia o que passava em seu interior.
- Como esquecer cada pedacinho que compartilhamos juntos, nossa infância e os cuidados que teve comigo em minha adolescência , me orientando, me enfeitando , me orientando nos meus primeiros namoros e em tudo que pedisse. Volta logo para casa maninha e descansa um pouco dessas viagens para ficar um pouco comigo.

Essa imagem mais do que depressa apagava trazendo Jeniffer de volta a realidade, como num sopro , num vento que refresca o seu rosto.

O acompanhamento médico era constante para que pudesse mostrar a ela que aquelas visões eram tudo um simples sonho e a sua vida tinha que continuar. Que sua maninha estaria sempre presente em seu coração e que nada no mundo  apagaria amor entre elas que permaneceria vivo para sempre.

RSantos 

15a. Edição Roteiro
Imagem Projeto

sexta-feira, 11 de março de 2011

" AS CARTAS DE AMOR "


Estava mantendo o nosso amor vivo através das trocas de cartas que passaram a ser constantes após o nosso reencontro nas minhas férias.

O meu primeiro amor que por nossas escolhas de vida nos separaram e que por mais que quisesse adormecer esse sentimento sentia que o destino nos mantinha unidos de alguma forma.

Acabara de receber mais uma carta sua cheia de palavras de amor que se misturavam com suas novidades sobre o trabalho, as atividades da fazenda, seus estudos, seus sonhos que em suas entrelinhas deixavam escorregar o desejo de me ter ao seu lado.

Ler suas cartas me deixava fora de órbita e começava a imaginar o que estaria fazendo naquele momento. Será que estaria ansioso em receber a minha carta de retorno? Imagino Vitor sentado na sua poltrona predileta pegando as correspondências olhando envelope por envelope na esperança de encontrar a minha carta no meio delas.

Passava um longo tempo lendo e relendo suas cartas e minha imaginação ia além da realidade tentando me convencer de que ele estaria agindo igual a mim.

Poderíamos estar nos comunicando utilizando as redes sociais, mas tudo começou com uma carta que me enviou com umas folhas cheirosas contando nossos últimos momentos juntos. Foi o início de trocas de cartas de amor que foi se mantendo e sempre que chego a casa vou direto à caixa do correio.

Espero que essas cartas possam levar a decidirmos nossas vidas para podermos estar juntos novamente e para sempre.

RSantos

14a. Edição Roteiro                                                                           13a. Edição C e F
Bloínquês                                                                                           Creativité
        Imagem projeto                                                                                                 Tema:começar com a letra "E", e terminar com "e".

sexta-feira, 4 de março de 2011

"Minha mãe é chata"


Minha mãe teve que viajar a trabalho e eu passei a semana toda sozinha em casa.

Com o início das aulas só me ausentava para ir à escola e o restante do dia ficava em casa estudando, lendo um livro, conversando com as amigas no MSN.

Adorava curtir esses momentos onde era dona do meu nariz e não tinha ninguém no meu ouvido perguntando:
- Juliana já fez os deveres? Já tomou banho hoje? Já é hora de dormir, larga esse computador que amanhã tem que acordar cedo.

E assim era o tempo todo quando estava em casa. Será que quando for mãe vou ser igualzinha a ela? Espero que não porque mãe assim é chata demais.
Agora que estava distante não perturbava tanto, mas podia contar que de manhã cedo o meu despertador era o toque do telefone com ela me ligando querendo saber se já estava de pé para não perder a hora do colégio, se estava tudo bem enfim o que estava cansada de ouvir e a noite a ladainha se repetia.

Apesar disso tudo eu a amava e me orgulhava muito de ser sua filha. Era uma mulher guerreira, trabalhadora, mãe dedicada até demais e desde que se separou do papai a sua vida era toda em função da casa, da minha educação, do meu futuro.
Mamãe não saia para passear com as amigas, não namorava e isso tudo me fazia pensar que ela ainda gostava de papai que já estava casado com outra. Muitas vezes escutei suas conversas com ele cobrando o pagamento da pensão para poder pagar o meu colégio e o curso de inglês. Ele sempre dava uma desculpa e pagava com grande atraso, mas agora não vinha mais fazendo o pagamento o que levou mamãe a procurar os seus direitos na Justiça. O que ela ganhava com seu trabalho mal dava para pagar as despesas com a casa, comigo e com a alimentação.
Essa tarde estava arrumando a minha mochila e dando uma geral no quarto que era uma bagunça só quando tocou o telefone. Atendi e era o advogado de mamãe dizendo que não conseguia falar com o celular dela e queria que eu informasse sobre a audiência com o Juiz que já estava marcada. Anotei tudo que ele foi me informou com muita atenção para dar o recado corretamente.
Já estava tarde quando mamãe ligou e eu estava até cochilando. Sonolenta fiquei só na escuta ficando praticamente muda e foi aí que me lembrei da ligação recebida e disse:
- Mãe ligou o seu advogado hoje a tarde porque não conseguia falar com o seu celular.
- Juliana ele deixou algum recado? Você anotou por escrito? Foi logo perguntando desesperada.
- Claro mãe a sua filha apanhou um pedaço de papel e escreveu rapidamente o nome e o telefone que ele me ditou para passar para você e também o dia e a hora da audiência com o Juiz que é daqui há quinze dias. Respondi pausadamente para deixá-la tranqüila.

- Minha filha que bom receber essa boa notícia e não vejo a hora de resolver esse assunto.
Deixa esse recado no meu quarto para que você não venha a perder esse papel no meio dessa sua bagunça. Falou a minha mãe do seu jeitinho delicado que lhe era peculiar.
- Esta bem mamãe vou deixar o recado no seu quarto. Respondi secamente para encerrar logo e poder ir dormir.
- Obrigado filha! Sei que estás com sono, mas já verificou se passou o trinco nas portas? Verificou se ficou alguma luz acesa?
- Mãe já verifiquei tudo e agora posso ir dormir? Perguntei já nas últimas.
E aí a ligação caiu e a minha pergunta ficou sem resposta. Fui me deitar perguntando a mim mesmo: 
- Será que toda filha tem uma mãe chata igual a minha?

RSantos
12a. Edição Começo e Fim
Tema: começar com a letra "M", e terminar com "?"
56a. Edição Conto História
Tema:Apanhou um pedaço de papel e
escreveu rapidamente o nome e o telefone