sexta-feira, 29 de abril de 2011

" O SEQUESTRO "


Antony era um empresário de sucesso e sempre envolvido em seus negócios o tempo que dedicava a família era quase que nenhum. Quanto mais dinheiro ganhava não o deixava satisfeito e a ambição que tinha parecia doentia.

Naquele dia por volta das 18 horas ele atendeu uma ligação em seu celular. Do outro lado da linha uma voz masculina com tom de malandro explodiu no seu ouvido dizendo:
- Meu chapa quero avisar que é um sequestro. Estou com sua esposa e sua filha, não desligue o celular e não tente avisar a polícia.

Para confirmar o que diz o sequestrador coloca ao celular uma voz de menina chorando e pedindo socorro.

Em pânico ele chama pelo nome da menina e pergunta pela esposa e aí o bandido volta a falar:
- Senhor, sua filha Sabrina e sua esposa estão comigo e se não colaborar nós vamos barbarizar com elas, a garotinha e sua mãe são muito bonitas e gostosas. Agora escuta bem o que quero é dinheiro e tem que ser agora ouviu?

Apavorado e sem saber como agir ele desliga o celular. Depois é que percebeu o erro que havia cometido e cobrindo o rosto com as mãos começa a chorar.

Estava de uma forma que não conseguia raciocinar, tentava se acalmar e colocar os pensamentos em ordem. Estava difícil e a aflição e desespero aumentava. Apertava as mãos na cabeça pedindo ajuda a Deus para que o seqüestrador voltasse a ligar e ele conseguisse conversar com mais calma e acertar a entrega do dinheiro.
O celular não tocava e isso o estava levando a loucura, olhava para o relógio e só via o tempo passar imaginando o que poderiam estar fazendo com sua esposa e filha.

De repente como um milagre lembrou que sua esposa avisara que depois que pegasse a Sabrina no curso de inglês iria visitar a mãe no hospital que tinha se submetido a uma cirurgia vascular.

Rapidamente pensou que poderia ter sido um blefe aquela ligação e correu para ligar para o celular da esposa. Para sua felicidade ela atendeu e aí disparou com uma série de perguntas.

- Amor você está bem? A Sabrina está com você? Está tudo bem? Estão no hospital ainda?
- Estamos saindo do hospital, está tudo bem e estamos indo para casa. O que está acontecendo para você me encher de perguntas?
- Estou indo para casa também e te explico pessoalmente.
- Vai chover hoje para você estar saindo a esta hora. Independente do que aconteceu estou muito feliz em podermos jantar juntos.
- Vou jantar com vocês e quero estar mais presente a partir de agora. Até já meus amores.

Que susto levara e quantos casos parecidos com este já havia tomado conhecimento, mas servira de lição para tomar mais cuidado, pois o bandido sabia o seu celular e sobre sua família. Será que estava sendo vigiado?

Tinha muito que pensar e mudar na rotina de sua vida. O mais importante era se dedicar mais a sua família e não fazer do trabalho uma obsessão.

RSantos

21a. Edição Roteiro
Imagem Projeto
Bloínquês

sábado, 23 de abril de 2011

" UMA PARTIDA SEM DESPEDIDAS "


Bela e elegantemente vestida Isadora chegara à estação ansiosa em partir o mais rápido daquele lugar.

Tomara a decisão de retornar para o lugar onde nascera, sua terra Natal, onde estavam as suas raízes, onde estaria protegida e amparada.

Estava partindo sem despedidas, deixando para trás todas as tristezas e mágoas de um casamento fracassado, de um amor cheio de tortura e sofrimento.

Colocara um ponto final neste sonho que se perdera pelos caminhos da vida.

Quantas vezes soube que ele a traia atingindo em cheio o seu coração, mas sofria calada com medo de perdê-lo, de não mais o ver.

Fingia que dormia quando, quase como uma pluma, ele deitava ao seu lado exalando ainda o cheiro da noite de pecado.

Chorava em silêncio desejando tanto estar nos braços de sua mãe que sempre a aconselhava e orientava. Lembrava-se de suas palavras quando aceitara se casar e morar num lugar tão distante dos seus.
- Isa, minha filha, quero que saiba que ainda que pensares em retornar de onde veio, lembre-se do porque foi para lá.

Cega pelo amor nem ligava para o que dizia a voz da experiência que só queria o melhor para sua filha.

Fora companheira, amiga, mulher que sempre estivera presente reparando os seus erros, escutando seus desabafos, cuidando quando estava doente, aturando as suas ressacas e nunca recebera o devido valor por isso.

O tempo se encarregara de acabar com este sentimento que havia em seu coração e cansada de tudo o que mais queria era seguir para uma nova vida longe dali. Descobrir coisas novas, sentir vontade de viver, sentir ser amada novamente e recomeçar procurando recuperar esse tempo que perdera.

Com a certeza absoluta da decisão que tomara arrumou suas malas e saíra de casa sem olhar para trás uma só vez, seguindo em frente para viver um novo presente e passando a borracha nesse triste passado.

Pensou em avisá-lo, mas achou melhor que ele descobrisse e que parasse para refletir em tudo o que fizera. Que olhasse para dentro de si mesmo descobrindo o quanto era um cara vazio e fracassado.

O seu trem chegara e em poucos minutos estaria retornando de onde viera e deixando para trás um passado que para a sua felicidade não seria mais um empecilho.

RSantos


13a. Edição Gênero Situação
Tema: Qualquer parágrafo
"Ainda que pensares em retornar de onde veio, lembre-se do porque foi para lá"
17a. Edição Começo e Fim
Tema:Começar com a sílaba "Be" e terminar com sílaba "lho"

Pauta Projeto Creativité

Imagem Net

sexta-feira, 22 de abril de 2011

" Um grande amor que recomeça "


Já estavam separados há algum tempo e quis o destino que voltassem a se encontrarem.

Wesley e Lívia compartilharam juntos muitas emoções, desejos e um mundo de planos e esperanças para o futuro. Envoltos em seus anseios profissionais e ainda jovens decidiram seguir suas vidas em separado.

Foram morar em países diferentes aceitando oportunidades de trabalho que pesava mais do que os sentimentos que sentiam um pelo outro. Eram jovens e cheios de sonhos a realizar e precisavam crescer e amadurecer como seres humanos e tentar conquistar o seu lugar ao Sol.

Por coincidência ambos vieram visitar seus pais, rever a família e a terra Natal na mesma época. Suas famílias moravam no mesmo bairro e um belo dia se encontraram fazendo a caminhada matinal. Ficaram por algum tempo sem palavras, olhos nos olhos, coração disparando até que se abraçaram carinhosamente e falando da saudade que sentiam e de suas vidas, enfim rolou um interminável papo.

Tinham muito que contar e aquele sentimento ainda mantinha a sua chama acesa o que logo foram combinando de saírem para jantar e continuar a conversarem.

Jantaram a luz de velas num restaurante a beira mar, conversaram bastante, dançaram juntando seus corpos e despertando o sentimento e desejo que ainda havia entre eles.

Depois do jantar foram caminhando pela orla abraçados, trocando carícias e beijos. Envolvidos nesse desejo terminaram fazendo amor com seus corpos sedentos de paixão. Estavam ali na mesma cama felizes e se olhavam sem saber o que falar de tanta felicidade.

Wesley sentou-se de lado na cama e olhando para Lívia disse:
- Meu amor como é bom estar aqui com você depois de tanto tempo afastado de você. O que aconteceu aqui só veio a confirmar que um grande amor não acaba nunca, nem pelo tempo e nem pela distância.

Lívia escutou aquelas palavras que a emocionaram demais e tocando suas mãos olhou apaixonadamente para ele dizendo:
- Comecei a lembrar apenas das coisas boas que nos cercavam, da maneira como você me tocava, das palavras ternas que dedicávamos um ao outro, do seu jeito de me olhar mostrando amor e desejo que me levavam nas nuvens. Amor foi como se eu pudesse sentir tudo outra vez, foi como se eu ouvisse novamente o som da sua voz penetrando os meus ouvidos.

Wesley ficou olhando e deixando Lívia falar porque era o que mais queria continuar ali ao seu lado para sempre.

E Lívia acariciando as suas mãos continuava a falar:
- Pensei que apesar de vivermos outras realidades hoje, que apesar de estarmos mais velhos, poderíamos ceder, sem nenhum temor, a este sentimento belo e forte que nos uniu um dia e que, pelo menos em mim, parece estar mais vivo do que nunca!

- Porque não podemos começar tudo de novo? Perguntou Wesley com firmeza.

- Wesley, meu amor, é o que mais quero nesta vida.

E depois dessa resposta não houve mais nada que pudesse separar aqueles dois que se entregaram aqueles momentos que pareciam não ter fim.

RSantos



20a. Edição Roteiro
Imagem Projeto
65a. Edição Musical
Pauta Bloínquês

A minha participação para a 20a. Edição Roteiro quando cheguei a comunidade para deixar o link já havia fechado e então retirei, mas só o fato de deixar aqui o o meu texto já me é gratificante.

sábado, 16 de abril de 2011

" A SUA FELICIDADE "

Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração tenha a certeza de que está apaixonada.

O amor chegou a sua vida e você não consegue fazer mais nada a não ser ficar em frente à janela olhando para o vazio, sonhando em encontrá-lo novamente, se envolver no seu olhar e seu corpo vibrar de tanta emoção e prazer.

Daniele mora sozinha desde  a morte de sua mãe. É professora e trabalha uma parte do dia lecionando numa escola do bairro. Seus parentes moram em outra cidade distante e tem alguns amigos que são da escola ou do próprio bairro.

Gosta muito de ler e de trabalhos manuais, com que se ocupa o resto do dia além dos afazeres da casa.

Reside em uma cidade pacata de interior e agora com a descoberta de um poço de petróleo vem crescendo o número de pessoas que vem a trabalho e muitos que estão ficando para morar.

Foi assim que ela conheceu o Fred que alugou um apartamento no mesmo prédio e no mesmo andar do seu.

Todos os dias pela manhã se encontram ao saírem para trabalhar e assim que se conheceram. Tudo começou com um simples bom dia e que a cada dia ia se somando novos assuntos.

Ficaram amigos e agora já seguiam uma parte do caminho juntos conversando, contando sobre suas vidas e muitas vezes rindo de alguma coisa engraçada.

Um dia Fred bateu a sua porta no final da tarde trazendo uma xícara de chocolate quente para ela provar. Daniele sem graça o convidou para entrar e bateram um longo papo enquanto saboreavam o delicioso chocolate quente.

Entre encontros e chocolates quentes Daniele foi se apaixonando pelo seu vizinho, o seu tão sonhado príncipe encantado. Tinha seus receios, pois pouco sabia de sua vida e já havia se apaixonado uma vez, talvez não tão doce e embriagante como agora.

Quando se apaixonou pela primeira vez era muito jovem e inexperiente o que a levou a fazer loucuras. Graças a Deus a sua mãe estava a seu lado dando todo o apoio, carinho e orientação que uma filha precisa nessas horas.

Sua mãe sempre dizia que a vida é um jogo e que temos que saber dar as cartas, mas nem sempre se pode sair vencedores. E quando acontecer de você ser o perdedor saiba como agir com dignidade, caráter e não fazer nada que deponha contra a sua honra e princípios.

Tinha consciência de tudo isso, mas o que importava era que ela estava loucamente apaixonada, já não era mais adolescente  e sabia onde estava pisando.

Era o amor de sua vida e iria vivê-lo intensamente enquanto durasse. Nesse jogo iria colocar as cartas com maestria e lutaria com todas as forças para  sair vencedora porque ali estava como prêmio a sua felicidade.


RSantos

12a. Edição Gênero- Situação
1º Páragrafo: "Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração..."
16a. Edição De-sa-fio
Tema: Perdedor

quinta-feira, 14 de abril de 2011

" Tudo na vida tem um preço "


Para viver intensamente é necessário conviver com os riscos. Só posso nesse momento traduzir a minha dor com essa frase que foi escrita com sabedoria.

Tantos anos trabalhando como professora no ensino do inglês na área de Intercâmbio e lidando com tantos jovens de outros países nunca havia me relacionado com ninguém, mas sempre chega um dia que o nosso coração não resiste.

Foram seis meses que o Charles ficou aqui na Central School of English situada no coração de Londres, do lado da estação de metrô, perto das atrações turísticas, dos cinemas, museus e teatros mais conhecidos.

Durante as aulas nossos olhares se encontravam e mesmo sentindo uma grande atração procurei evitar qualquer aproximação fora da escola, mas um dia, depois da aula, ele chegou perto de mim dizendo:
- Mary não quer ser minha guia turística este final de semana?
O fato de estar tão perto de mim, o calor de sua voz, o seu cheiro e tudo que me atraia me levou sem sentir a responder:
- Claro que sim Charles e vai ser muito bom para colocar em prática a sua conversação.

Foi assim que começou o nosso relacionamento. Uma paixão sem limites que nos dominou de uma forma sublime, apaixonante aflorando desejos incontroláveis.

Quando estávamos juntos nossos corpos eram tomados por ondas de calor e não havia barreiras entre nós. O tempo se encarregou de nos moldar um ao outro sem precisar de aulas ou ensaios.

Vivíamos cada momento intensamente e nossos sentimentos ficavam a cada dia mais forte. Não havia cobranças, nem planos, existiam dias serenos, alguns mais agitados, mas nada que tirasse nossa felicidade.

Tudo foi muito bom até o dia inevitável de sua partida. Sabia que esse momento chegaria e que seguiria o seu caminho e só restariam as lembranças dos momentos que vivemos juntos e as saudades que ficariam pela sua ausência.

O que não imaginei e nem previ nisso tudo é que eu iria me apaixonar de verdade e agora tinha que conviver com esses riscos. Precisava me controlar para não demonstrar a tristeza que estava sentindo.

Passamos a última noite juntos sem pensar no dia seguinte. Todas as despedidas são difíceis e nos abraçamos milhares de vezes como se nunca mais fôssemos nos ver.

Charles despediu-se de todos na Escola e entrou no carro que o levaria ao Aeroporto.

Depois que partiu nem olhei para trás para que não percebesse que os meus olhos estavam cheios de lágrimas. Não queria que ele seguisse sua viagem com essa imagem de tristeza.

Enxuguei as lágrimas dos meus olhos e engoli em seco tentando disfarçar um sorriso. E assim fiquei olhando para o vazio.

Tudo na vida tem um preço e o que me restava agora era dar tempo ao tempo para tudo voltar ao normal.


RSantos

16a. Edição Começo e Fim
Tema: Começar com " aspas" e terminar com "L"
Projeto Creativité

19a. Edição Roteiro
Imagem Projeto
Pauta Blóínquês

sexta-feira, 8 de abril de 2011

" O FIGURANTE "


Todos que transitavam pela estrada paralela a ferrovia paravam curiosos em saber o que estava ocorrendo, pois havia algumas pessoas aglomeradas.


Estava sendo gravada uma cena de novela naquele local tendo sido tudo cercado e toda a equipe em operação para verificar todos os detalhes.

A cena envolveria a artista principal que após ter descoberto que seu noivo a tinha abandonado fugindo com sua melhor amiga fica transtornada. Totalmente fora de si ela entra em desespero rasgando seu vestido de noiva.

Veste um vestido vermelho e coloca como echarpe o véu de noiva. Sai caminhando até chegar à estação e desce pelos trilhos parando na linha principal. Pega o véu e cobre os seus olhos e fica ali parada esperando o trem chegar e por um fim em sua vida. 

Ela escuta o apito do trem que acende os faróis ainda com o dia claro  tentando frear para evitar tamanha tragédia. E assim termina a cena deixando esse suspense para o próximo capítulo.

O diretor é um rapaz jovem que acompanha os movimentos da artista e quando acha algo que não lhe agrada pede para voltar e regravar.


Nunca tinha assistido uma gravação de novela e hoje tive a felicidade além de assistir de ser um participante. Quem diria que eu um maquinista em fim de carreira iria virar um figurante da noite para o dia.

Agora posso dizer que não é fácil a vida desse pessoal tendo que ficar horas e horas num vai e vem, gravando e regrando quantas vezes forem necessárias para no final sair uma única cena.

RSantos

18º Edição Roteiro