sexta-feira, 22 de julho de 2011

" Uma tempestade de sentimentos "


A chuva caía forte alagando os verdes campos que cercavam as terras da família Lorena. O jovem Duque Henrique de Lorena estava a poucos dias de seu casamento com a princesa Maria Teresa, pertencente à família Imperial da Espanha.

Henrique era um rapaz de um ciúme doentio e ultimamente estava se tornando insuportável. Seguia todos os passos de Maria Teresa e qualquer sorriso ou agrado que fizesse a alguém, de seu relacionamento, já era motivo para uma discussão.

A cerimônia do casamento seria no próximo sábado e muitos convidados amigos e famílias da realeza começavam a chegar. As várias casas dos Lorena estavam hospedando os convidados tornando os dias cheios de encontros nos passeios, nas refeições e propiciando noites alegres.

Eram noites muito agradáveis, cheias de música, danças e papos que não tinham hora para acabar. Tudo isso foi consumindo Henrique que a cada dia ficava mais nervoso e com cara de poucos amigos. Maria Teresa era muito bonita, alegre e estava sempre bem acompanhada de seus primos e primas dedicando menos tempo ao noivo.

Chegara o dia do casamento e tudo já estava pronto. Apesar das fortes chuvas a festa seria nos salões da realeza. No início da manhã Henrique avistou Maria Teresa correndo para se abrigar da chuva. Ela vinha casa da principal e chegou a se assustar quando ele apareceu de repente saindo de trás de uma árvore.

- Henrique que susto que você me deu. O que está fazendo aí parado debaixo dessa chuva? Perguntou ela com o coração ofegante
- Estou te vigiando e não estou gostando do seu comportamento nestes dias. Quero que saiba que você é minha e não quero que fique por aí fazendo gracinhas para esses seus primos. Desabafou Henrique virando o rosto para evitar mostrar o ódio que tinha em seus olhos.

Como ela nada lhe respondera andou em sua direção e segurando o seu braço começou a falar com mais calma e num tom mais carinhoso.

Maria Teresa não gostou da forma como ele agira e já havia percebido o ciúme que ele demonstrava, mas não assim. Isso a preocupava muito e olhando para ele disse:
- Não esperava ouvir isso de você Henrique. Nós vamos nos casar e não pode haver esse tipo de sentimento entre nós. Estar aqui convivendo estes momentos juntos com nossa família e amigos é unir nossos laços, nossas vidas. Hoje é um dia muito especial e deveria ter sido o melhor dia da minha vida, mas não foi.

No meio daquela tempestade estavam os dois estremecidos por sentimentos que jamais deveriam estar presentes. O amor que sentiam não poderia sobreviver a esse ciúme. Era melhor que mostrassem o que realmente eram antes de transformarem suas vidas num inferno.
RSantos


27ª Edição Roteiro
75 ª EdiçãoConto/História

sexta-feira, 1 de julho de 2011

" Uma nova vida "



Chegara verão e com ele o nascer de um novo ano, o nascer de uma nova vida que veio para brindar o nosso amor. O início da gravidez fora bem delicado, pois sentia dores resultantes de contrações que exigia um repouso absoluto.

Vivia praticamente sem sair de casa e que susto levara no dia que desmaiou sendo socorrida pelo seu marido assim que chegou do trabalho. Ele rapidamente a pegou no colo levando-a para a cama e preocupado observava a sua amada.


Assim que ela abriu os olhos sentiu um alívio ao ver o seu amor do seu lado que foi logo falando:
- Meu amor você está bem? Acha que devo ligar para o médico?
- Estou bem e não precisa falar com o doutor, pois ele vai me dar uma bronca. É que fui arrumar as roupinhas de nosso filho no armário e isso deve ter causado esse mal estar. Agora está tudo bem e nada melhor do que continuar nesta cama sem fazer mais arte. Disse ela baixinho.


Ele segurou sua mão pedindo a ela que levasse a sério o repouso. Sabia o quanto estava sendo sacrificante estar ali presa naquela cama. Carinhosamente deitou-se ao seu lado e naquela noite, mal conseguiu dormir.

Passados alguns meses pela primeira vez não sentira dor alguma, pela primeira vez em anos, obteve as respostas às suas perguntas.

Quantos anos tentaram ter filhos e não conseguiram. Seções intermináveis com médicos e especialistas que passavam inúmeros exames e todos os resultados eram desanimadores. Estavam desgastados e deixando de viver em função disso, mas não desistiram e continuaram a luta para ter um filho.

Consultas atrás de consultas e depois todos aqueles exames novamente. Ficamos mais animados após os exames de fertilidade, pois já transcorria mais de 37 dias de ciclo sem nada aparecer o que era um bom sinal.

Estávamos nervosos e ansiosos na expectativa de saber o resultado do teste e quando vimos lá escrito “POSITIVO“ foi uma emoção e alegria que não dava para expressar a grandeza do que sentimos. Choramos de tanta felicidade que parecíamos duas crianças acabando de ganhar o presente dos seus sonhos.

Minha esposa estava grávida finalmente e isso graças a nossa persistência, graças a Deus porque nada na vida acontece por acaso. Você nunca sabe que resultados virão da sua ação, mas se você não fizer nada, não existirão resultados.



RSantos

26a. Edição Roteiro
73a.  Edição Conto/História
Projeto Blóínquês