sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

" A ponte testemunha desse amor"


Luciana  estava ali naquela ponte num dia frio e chuvoso coberta pela sua sombrinha, mas com os olhos atentos esperando chegar o amor de sua vida, Ítalo que estava atrasado como sempre.

Ele ligara para ela dizendo que precisava muito conversar e marcou de se encontrarem naquela ponte onde tudo começou, onde se beijaram pela primeira vez, onde seus corações se uniram e nunca mais se separaram.  

Estava já pegando o celular para ligar quando  o vê chegando com aquele sorriso que a encantava como tudo nele.

Antes que pudesse fazer qualquer pergunta ele, rapidamente, ajoelhou-se aos seus pés e como se fosse uma cena de novela segurou em sua mão e perguntou:
- Luciana  meu amor você aceita se casar comigo?

Ela olhou para ele e começou a rir achando aquilo alguma brincadeira que os amigos haviam apostado. Continuando a rir ela perguntou:
- Ítalo que brincadeira é essa ? Num dia de chuva e com esse frio você marca encontro aqui na ponte para me pedir em casamento? Se alguém passar por aqui e te olhar aqui de joelhos vai pensar que você é maluco.

-  Você está ferindo o meu ego. Eu acabei de te pedir em casamento, e você acha que eu estou fazendo piada. - disse Ítalo muito sério e com cara de poucos amigos.
- Tive o maior cuidado de preparar este momento, comprar as alianças e você acha isso tudo uma brincadeira?

Luciana  ficou em silêncio, começou a colocar os pensamentos em ordem e com muito custo a ficha caiu, fazendo com que ela percebesse que era sério mesmo. Seu rosto se transformou, seus olhos se encheram de lágrimas e por mais que quisesse não conseguia pronunciar uma palavra, um pedido de desculpas.

Ele era o homem de sua vida, compartilhavam uma vida a dois há mais de um ano e seu coração vibrava de tanta felicidade por ter a seu lado sua alma gêmea. Sabia que o havia magoado, mas não queria nem imaginar que ele pudesse sair de sua vida o que a levou a abraçá-lo bem forte e dizer ao seu ouvido:
- Meu amor me desculpe se levei na brincadeira, mas você me pegou de surpresa depois de um dia daqueles de trabalho. Amor quero dizer somente uma coisinha para você e depois não falo mais nada.

- Fale logo o que você tem para me dizer , disse ele olhando firme para ela, apertando-a forte em seus braços e estando ainda de joelhos segurando a caixinha das alianças com uma das mãos .

- Sim eu aceito me casar com você, respondeu Luciana.

Emocionado Ítalo abraçou a sua amada confirmando o pedido com um beijo ardente e apaixonado.

Um pedido de casamento bem original feito naquela ponte testemunha desse amor deixando ali marcado esse momento. Para completar tudo isso aconteceu num dia de chuva . . . Muito frio e muita chuva !!!
RSantos


57a. Edição Edição Visual

11a. Edição C&F
Tema: começar com a letra "L", e terminar com "!"
Imagem do Projeto BLQ

sábado, 19 de fevereiro de 2011

" MUDANÇAS DE VIDA, NOVAS ATITUDES "

Isabela retornava para casa seguindo vagarosamente em sua bicicleta após mais um dia de aula. Tudo era novidade para ela nesta cidadezinha que sua mãe resolvera morar. Sua vida tinha virado de cabeça para baixo com a separação de seus pais.

Ainda não completara dois meses desde sua mudança e passava a maior parte do tempo sozinha lendo um livro, conversando com as amigas pela internet ou vendo televisão. O seu mundo ficou restrito a sua casa onde passava maior tempo em seu quarto. Sentia saudades das amigas que estavam distantes e sabia que seria difícil voltar a vê-las.

A sua companheira inseparável que trouxera consigo era a Luna, sua gatinha que também estava se adaptando ao novo lar.

Começaram as aulas e para Isabela era mais uma etapa que tinha que enfrentar em nova escola, com novos professores e coleguinhas. Há primeira semana transcorreu tudo normal sendo que se sentiu isolada pelos colegas de sala que a olhavam como se fosse uma estranha o que a fez ficar inibida em se aproximar.

Hoje na hora do recreio ela estava na lanchonete sentada num banco que ficava ao lado do balcão e pouco visível.
Aproveitava para ler um pouco enquanto bebia um refrigerante quando escutou umas risadas que vinham de trás dos arbustos. Identificou que era um grupinho de sua sala e no meio daquela algazarra escutou citarem o seu nome e uma das meninas ainda gritou:
- Vocês estão falando da toda metida que veio de cidade grande e chega aqui de nariz empinado e cheia de más intenções. Por mim aqui ela não vai ter vez.
- Não exagera Bia. Você nem a conhece e já vai disparando seu veneno. Falou a sua amiga, Ana

Isabela depois disso ficou muito irritada e como nunca foi de levar desaforo para casa foi ao encontro do pessoal. Assim que chegou perto todos ficaram mudos e ela mais do que depressa deu a sua resposta.

- Olha pessoal gostaria de ter chegado aqui desde o primeiro dia para conversar com vocês, mas a recepção que tive não foi muito calorosa para quem está chegando e procurei dar um tempo não só para mim como para vocês.
Deu uma parada e continuou:
- Consegui escutar apenas uma parte da conversa de vocês e não estou aqui para julgar ninguém, mas quero deixar bem claro que eu sou a garota com a melhor das intenções. Estou morando nesta cidade não por minha escolha e para que me sinta bem e feliz quero fazer amigos e não inimigos.
Terminando de falar todos a olharam muito sem graça, mas já de uma forma diferente.

Foi mais um dia de aula, mas para Isabela foi um dia em que ela mesma se surpreendera com a sua atitude. Sentia-se mais segura, madura e corajosa. Tinha certeza que enquanto retornava para casa sua vida aos poucos voltaria ao normal.

RSantos

6a. Edição Dialogue
Tema: escola

55a. Edição Visual
Imagem de abertura
55a. Edição Musical
Eu sou a garota coma melhor das boas intenções
54a. Edição Conto História
Consegui escutar apenas uma parte da conversa

postagem inicial dia 18/02/11 às 18:43 hs

sábado, 12 de fevereiro de 2011

" A TRISTE DESPEDIDA "


Nada melhor poderia ter me acontecido do que os momentos maravilhosos que passei junto com o Marcos. Nosso contato começou num bate papo pelo MSN que o fazíamos esporadicamente e depois a freqüência foi aumentando, nos tornando muito amigos.

Uma amizade onde descobrimos muitas coisas em comum e trocamos confidências, elogios até que resolvemos nos conhecer pessoalmente. Morávamos não muito distantes um do outro, Ele residia em Rio das Ostras e eu em Niterói.

Combinamos de nos encontrar e Marco é que veio até Niterói ficando hospedado em minha casa. Morava sozinha num apartamento pequeno e perto da praia e no início fiquei um pouco receosa, mas logo que nos vimos surgiu uma química entre nós que não precisamos de palavras para demonstrar o que sentíamos um pelo outro.

Muitos não acreditam que isso possa acontecer, mas pode sim, nos apaixonamos perdidamente e agora juntos, um sentindo o calor do outro, trocando carícias, beijos intermináveis que nos encheu de paixão e desejos vivendo uma lua de mel tirou nossos pés do chão e nos transportou a flutuar nas nuvens.

Como tudo que é bom dura pouco e chegara a hora dele partir porque tinha seu trabalho e seus estudos lá em Rio das  Ostras como eu também. Deixamos nos levar sem fazer promessas e nem assumir compromissos para que o tempo se encarregasse de decidir o nosso destino.

- Juliana, meu amor, como gostaria de continuar mais um pouco aqui com você, mas não posso porque tenho muitos compromissos que dependem de mim lá na Indústria de meu pai. Disse ele me olhando com ternura.
- Eu sei disso Marco e como gostaria de não ter que pensar nessa despedida. Fico com o meu coração apertadinho. Respondi abraçando-o bem forte e procurando guardar na minha memória aquele cheirinho que me fazia delirar de tanta paixão e amor juntos.
- Então você vai me levar na Rodoviária ou prefere ficar aqui e eu pego um taxi? Perguntou Marco
- Claro que vou te levar amorzinho. Quero estar com você até o último minuto.
Juliana ia continuar a falar, mas Marco tapou sua boca com um caloroso beijo.

Chegando à Rodoviária fomos direto para o ônibus que já estava se preparando para sair. Foi tudo muito rápido e mal deu para tentar alongar aquele momento.

Separamo-nos com muito afeto: ele, de dentro do ônibus, ainda me disse adeus, com a mão. Conservei-me à porta, a ver se, ao longe, ainda olharia para trás, mas não olhou... E só me restou continuar a dar adeus vendo o ônibus partir até sumir da minha visão.

Depois que o ônibus desapareceu no horizonte ainda continuei parada na esperança que ele aparecesse de volta correndo ao meu encontro. Era querer sonhar como se estivesse assistindo a um filme de amor em que no "The End" sempre se espera aquele final feliz.

A vida continua e essa era a minha realidade. O que poderia acontecer daqui para frente só cada um de nós é que poderia sentir. Foram momentos únicos que nunca tinha vivido igual e com tanta intensidade, mas o que poderia acontecer com nossos corações. Voltando a nossa rotina é que poderíamos avaliar essa triste despedida. 

Que pensar em relação a esse amor . . .  Em relação a sobreviver ao tempo e a essa distancia . . .
RSantos

9a. Edição Começo e Fim
Tema: começar com a letra "N", e terminar com ". . ."

7a. Edição Gênero-Situação

Páragrafo do meio: "Separamo-nos com muito afeto: ele, de dentro do ônibus, ainda me disse adeus, com a mão. Conservei-me à porta, a ver se, ao longe, ainda olharia para trás, mas não olhou..."

5a. Edição Dialogue
Tema: Despedida


imagens tumblr











domingo, 6 de fevereiro de 2011

" ÁSPERAS E INJUSTAS PALAVRAS "


foto retirada do Tumblr
Denise estava simplesmente sem ação depois de ter sido chamada atenção pelo seu chefe. Trabalhava na editora de uma revista de moda sendo responsável pela edição da coluna de eventos e desfiles há mais de três anos e esta era a primeira vez que ouvia alguma reclamação com respeito ao seu trabalho.

Procurava entender o motivo de todos estarem nervosos e ela estar sendo crucificada por algo que nem sabia. Assim que entrou na sala o chefe foi logo fazendo sinal para ela ir até a sua sala. Estava com uma cara de poucos amigos e ainda mais quando pegava o cigarro era porque o assunto era muito sério.

Logo que entrou ele foi soltando o verbo dizendo:
- Perdemos a conta da Vert’s porque na edição de sua coluna não saiu à apresentação do seu desfile.
Realmente ela ficou sem entender o porquê, pois tinha deixado tudo pronto para ser publicado e quando foi tentar explicar e saber mais detalhes do que estava acontecendo e o porque daquele alvoroço ele não nem deu chance.
A frase que seu chefe lhe dissera não saia de sua cabeça.
- Os detalhes da sua incompetência não me interessam.

Essa palavra incompetência não fazia parte de seu vocabulário profissional a fazendo respirar e começar a expor os procedimentos e conclusão de suas tarefas dentro dos prazos e com toda a matéria que foi exposta na apresentação final antes da edição. Como sempre tinha tudo anotado com cópia de suas planilhas e reuniões apresentou as mesmas onde estavam autorizadas e assinadas pelo Diretor de Produção.

Depois de ouvir atentamente e verificar que o erro não tinha partido dela o chefe mandou chamar os responsáveis pela produção e edição. Fez um sinal para ela se retirar, agradeceu a explicação, mas em tempo algum pediu desculpas pelas ásperas e injustas palavras que havia lhe dirigido.

Denise pegou sua pasta e saiu meio que decepcionada com a forma como a empresa tratava os bons profissionais. Suas aspirações profissionais e a seriedade com que trabalhava estavam em linhas opostas e depois disso iniciou a sua busca por um novo desafio profissional.

RSantos


64a. edição Filme
Os detalhes da sua incompetência não me interessam

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

" No carinho de suas mãos"


Entre carinhos e afagos
Brincadeiras e sorrisos
O casal de namorados
Curte os lindos campos.

Trocam beijinhos
Entre muitos carinhos
Ficam abraçadinhos
Dormindo juntinhos.

Depois de fazer amor
Ficam de bom humor
Ele conta uma piada
Ela cai na gargalhada.

Com todo esse amor
Dentro do coração
Existe uma louca paixão
No carinho de suas mãos.


RSantos
24a. Edição Poemas
tema: Carinho
54a. Edição Visual
imagem do projeto