sexta-feira, 22 de julho de 2011

" Uma tempestade de sentimentos "


A chuva caía forte alagando os verdes campos que cercavam as terras da família Lorena. O jovem Duque Henrique de Lorena estava a poucos dias de seu casamento com a princesa Maria Teresa, pertencente à família Imperial da Espanha.

Henrique era um rapaz de um ciúme doentio e ultimamente estava se tornando insuportável. Seguia todos os passos de Maria Teresa e qualquer sorriso ou agrado que fizesse a alguém, de seu relacionamento, já era motivo para uma discussão.

A cerimônia do casamento seria no próximo sábado e muitos convidados amigos e famílias da realeza começavam a chegar. As várias casas dos Lorena estavam hospedando os convidados tornando os dias cheios de encontros nos passeios, nas refeições e propiciando noites alegres.

Eram noites muito agradáveis, cheias de música, danças e papos que não tinham hora para acabar. Tudo isso foi consumindo Henrique que a cada dia ficava mais nervoso e com cara de poucos amigos. Maria Teresa era muito bonita, alegre e estava sempre bem acompanhada de seus primos e primas dedicando menos tempo ao noivo.

Chegara o dia do casamento e tudo já estava pronto. Apesar das fortes chuvas a festa seria nos salões da realeza. No início da manhã Henrique avistou Maria Teresa correndo para se abrigar da chuva. Ela vinha casa da principal e chegou a se assustar quando ele apareceu de repente saindo de trás de uma árvore.

- Henrique que susto que você me deu. O que está fazendo aí parado debaixo dessa chuva? Perguntou ela com o coração ofegante
- Estou te vigiando e não estou gostando do seu comportamento nestes dias. Quero que saiba que você é minha e não quero que fique por aí fazendo gracinhas para esses seus primos. Desabafou Henrique virando o rosto para evitar mostrar o ódio que tinha em seus olhos.

Como ela nada lhe respondera andou em sua direção e segurando o seu braço começou a falar com mais calma e num tom mais carinhoso.

Maria Teresa não gostou da forma como ele agira e já havia percebido o ciúme que ele demonstrava, mas não assim. Isso a preocupava muito e olhando para ele disse:
- Não esperava ouvir isso de você Henrique. Nós vamos nos casar e não pode haver esse tipo de sentimento entre nós. Estar aqui convivendo estes momentos juntos com nossa família e amigos é unir nossos laços, nossas vidas. Hoje é um dia muito especial e deveria ter sido o melhor dia da minha vida, mas não foi.

No meio daquela tempestade estavam os dois estremecidos por sentimentos que jamais deveriam estar presentes. O amor que sentiam não poderia sobreviver a esse ciúme. Era melhor que mostrassem o que realmente eram antes de transformarem suas vidas num inferno.
RSantos


27ª Edição Roteiro
75 ª EdiçãoConto/História

Um comentário:

Sandra disse...

"Amigos são flores...
Amigos são poemas...
Como flores, devem ser cultivadas com carinho e dedicação, para que as tempestades da vida não esfacelem suas pétalas e para que possamos ter seu perfume em todas as estações.
Como poemas, devem ser sentidos nas fibras mais sutis da alma, com respeito e gratidão, para que sejam a melodia risonha a embalar nossas horas em todos os períodos do ano".

VENHA NA CURIOSA BUSCAR SEU CARTÃO AMIGOS DO CORAÇÃO.
Lhe ofereço com muito carinho que nos temos um pelo outro...Amizades são vinculos super carinhosos entre os verdadeiros. AMIGOS, seja virtual e ou real.

Carinhosamente
Sandra