quarta-feira, 8 de setembro de 2010

"PALMADA DE AMOR NÃO DÓI"

A educação dos filhos não se resolve no tapa e também não se resolve somente no diálogo. Tudo tem sua forma de agir e um bom papo , manter um diálogo é sempre muito importante, mas tem vezes que  é necessário um tapinha para conter certas rebeldias que muitas vezes surgem na fase de infantil ou na adolescência. Sou a favor do projeto de lei para proibir a prática de castigos físicos em crianças e adolescentes. Quando se fala em "castigos físicos" não podemos comparar ao fato de uma criança levar uma palmada por ter feito alguma coisa errada.
 
Falar sobre a minha infância e de como fui educada é muito gratificante, pois sou da época onde “palmada de amor não dói”. A Educação que recebi de meus pais tinha regras e obrigações a serem cumpridas e, apesar disso tudo, gostaria de ressaltar que havia uma grande amor e respeito não só por eles como pelos mais velhos. Esse respeito, no mundo de hoje, são valores que pouco se ressalta na educação e se refletem na cultura do povo onde deparamos com várias situações que muitas vezes nos revoltam. Sou de um tempo que havia a conversa, o diálogo que nos orientava o que era certo e errado e quantas vezes vislumbrados pelos colegas, pela própria euforia da idade, saíamos da linha, e aí, não havia conversa, era castigo na certa e claro que em certas ocasiões não conseguia escapar daquela “palmada de amor”. Esse tipo de educação nos moldes antigos considero válida e isso não pode ser comparado a maltratos e a castigos físicos. Considero uma educação caracaterizada por limites rígidos e dizer “não” aos filhos não era visto como prejudicial. 


Falando da educação dos filhos nos tempos atuais, os pais assoberbados pelas tarefas profissionais ou mesmo domésticas, tendem a passar menos tempo com os seus filhos e, frequentemente, delegam a responsabilidade de sua educação a terceiros, como a própria escola. Outros, tem tempo para seus filhos, porém, não sabem como gerenciar as dificuldades e nem estabelecer os seus limites.

Atualmente procuramos dar aos nossos filhos uma educação fazendo certas concessões movidos talvez pelo sentimento de “culpa” pelo pouco tempo dispendido a eles que podem desfavorecer o aprendizado de regras culturais e morais importantes.

Muitas mães se perguntam como educar os filhos corretamente, qual será a “fórmula mágica” para cuidar de uma criança, cuidar de sua educação e fazer com que ela cresça dentro da sociedade como um exemplo de criança. Não existe mágica para educar um filho pois acima de tudo ele é um ser humano, tem vontade própria e o que a mãe deve fazer é mostrar a ele como agir corretamente. Mostrar os dois lados do mundo, o lado certo e o lado errado e instrui-lo parara que siga sempre o caminho correto.

Ensinar a diferença que existe entre a verdade e a mentira, procurar sempre responder as suas curiosidades não escondendo nenhum fato ou notícia dele e se for algo muito grave procure esclarecer de forma suscinta sem muitos detalhes, mas nunca esconder ou mentir, fala sobre todos os assuntos sempre com muita naturalidade, porque dessa forma ele já vai se adequando às realidades da vida. Lembrando sempre que a melhor forma de educar o seu filho nos dias atuais é utilizar sempre o diálogo, nunca usar da agressão e também nunca deixar faltar a verdade para com ele e na frente dele, maus exemplos geram pessoas más.

Uma boa comunicação familiar permite que os pais conheçam melhor seus filhos dando-lhes condições para ajudá-los. Devem fazê-los refletir numa conversa aberta, perguntando e explicando-lhes as causas e problemas, fazendo com que eles mesmos procurem as próprias soluções e tomem decisões para que cresçam e ganhem responsabilidade.


Rene Santos

24a. Edição  Opinativa
Projeto Bloínquês


Fontes:
Imagens google
Pesquisas
:

Guiabrasilblog
Portal da familia
Rede Psi artigo da psicologa Maria ester

Nenhum comentário: