sábado, 28 de maio de 2011

" A GRANDE CHANCE"

Sarah era fotógrafa e redatora de uma revista de arte e cultura exercendo suas atividades sem grandes perspectivas. Vivia na comodidade da rotina de trabalhos sem muito a acrescentar a sua carreira. Cobria matérias sempre em sua cidade Natal e esperava um dia trabalhar em coberturas Internacionais viajando pelo mundo.

Curso de especialização era o que não lhe faltava e dominava plenamente o inglês e espanhol.

Há uma semana recebera a missão de visitar algumas cidades nos Estados Unidos fazendo uma matéria sobre as Lojas de Arte de um modo geral e o perfil de seus clientes.

Em qualquer ambiente uma obra de arte cai bem, seja ela uma natureza morta, uma paisagem, uma escultura ou um quadro abstrato. A arte não tem regra e se molda a cultura e ao gosto do consumidor. Foi dentro dessa linha que Sarah procurou evidências que mostrassem o seu valor e importância.

Era sua grande chance de mostrar um bom trabalho para conseguir a promoção tão esperada de atuar em matérias Internacionais.

Miami foi a primeira cidade que selecionou para iniciar o seu trabalho tendo em vista o seu crescimento no mundo das artes plásticas. Escolheu o Shopping Miami Design District para passar o dia fotografando e colhendo informações para a sua matéria.
Passou a manhã toda caminhando, fotografando e anotando tudo que via. Parou em frente a um bebedouro de água natural que lhe chamara atenção. Além de tirar algumas fotos aproveitou para matar sua sede bebendo aquela água fresquinha utilizando as mãos como assim faziam os primitivos. Em plena praça poderia se constatar uma peça de arte que era utilizada por todos que ali transitavam.

Pegara a máquina que havia deixado no parapeito da fonte e olhou rapidamente os cartazes de filmes em exposição na vitrine de uma Locadora. Entrou em uma nova rua onde havia um movimento maior e continuou com sua câmera sempre captando novas imagens e aproveitando a luz do dia.

O fotógrafo de uma revista precisa não só registrar o fato, mas captar a essência dos momentos. Foi assim que Sarah encerou a seção de fotos e foi até um café local e se acomodou em uma das mesas. Fez um breve lanche acompanhado de uma taça de vinho que ficou sobre a mesa. Pegou sua mochila retirando seu notebook e aproveitando o lugar agradável para baixar as fotos e digitar a matéria colhida com todas as suas observações. Como tinha um dia para pesquisar um ponto em cada cidade tinha que fechar cada edição no calor da emoção para não esquecer nenhum detalhe.

Assim que terminasse iria logo para o Hotel a fim de tomar um banho, descansar e ter uma boa noite de sono porque pela manhã, bem cedinho, estaria partindo para Nova York vislumbrando a estátua da Liberdade, mas seguindo em direção ao Times Square para passar o dia perdida no cruzamento da Broadway com a Sétima Avenida deixando a lente da Câmera captar as emoções da beleza, cultura e arte espalhadas nesta área.

Ainda iria visitar mais algumas cidades no intuito de ter material suficiente para concluir sua matéria que tinha o prazo de uma semana para entregar. Estava ali a trabalho e sabia que não teria tempo para curtir essa viagem, mas os frutos que colheria era a oportunidade profissional tão esperada para ter no futuro grandes alegrias.


               


RSantos

4a. Edição Profissão
Fotógrafo

17a. Edição Roteiro
imagem do projeto Bloínquês
de 01/04/2011

2 comentários:

✿ chica disse...

Um roteiro digno de um filme mesmo! Lindo!beijos,tudo de bom,chica

rafaela ivo, disse...

Parabéns pelo excelente texto, sua escrita é boa, e você escreve de maneira correta, sem errar muitas palavras. O texto transcorre de uma maneira muito boa, nos faz viver o encanto que é observar artes, e torcemos intimamente para que ela se dê bem com essa matéria. Parabéns pelo texto!

Avaliação da Edição Roteiro - Projeto Bloínquês.