sexta-feira, 12 de novembro de 2010

"Legalização da Maconha"


As notícias mais recentes sobre a legalização da maconha foram matéria nos sites da folha , da Globo e da Revista Época. Quase metade dos americanos são a favor da legalização da maconha conforme pesquisa da Gallup. Na Califórnia foi apresentada uma proposta em Plebiscito que provou uma grande mobilização e expectativa que foi logo descxartada com sua rejeição colocando um fim nessa campanha.

A legalização da maconha para fins terapêuticos representa um avanço para a medicina e já vem sendo defendida por cientistas e políticos já há algum tempo. Temos vários estudos que foram realizados com o uso terapêutico da maconha para combate no mal de Parkinson como no tratamento para dor em doenças como câncer, aids, esclerose múltipla e glaucoma. Essas teses são defendidas por cientistas da USP e da UNIfesp.

As pesquisas mostram que uma grande maioria diz que a liberação da maconha é um assunto que não sai da mídia e é muito polêmico. Essa liberação para algumas pessoas seria uma vitória e para outras uma derrota, mas acho que a não liberação é o certo a fazer.

Fora o dinheiro que é gasto quando o assunto é droga, pois muitos morrem são presos, roubam e com isso a polícia precisa aumentar seu efetivo par conseguir dar conta de tantas ocorrências. A maconha faz com que muitos jovens fiquem viciados, alguns deles não trabalham e com isso não possuem dinheiro em casa para sustentar seu vício e começam a roubar e até mesmo matar para sustentar o vício. Há casos de jovens que vendem coisas de dentro de casa para poder comprar a maconha.

Enfim pensar na liberada da maconha é ver aumentarem os homicídios, roubos e muitas outras ocorrências e com isso os gastos serão bem maiores para o estado.

Alguns políticos acreditam que com a liberação iria diminuir os gastos por diminuir as ocorrências, mas na verdade elas vão crescer mais ainda porque nem todos podem sustentar seu vício como já foi dito anteriormente.

No meu ponto de vista os gastos com a segurança de uma população não deveriam ser calculados, pois a guerra contra o terror é realmente muito difícil de ser vencida. Com a liberação vai aumentar também o consumo e conseqüentemente a violência. Surgirá no povo à insegurança, o medo e com toda essa falta de segurança com o aumento de roubos, mortes e assaltos a policia não poderá estar sempre em todos os lugares.

Hoje em dia quem encontra com uma mulher bonita na rua não sabe, mas ela pode ser uma viciada em maconha, pois apesar de existir aqueles que não conseguem sustentar seu próprio vício muitos conseguem e trabalham duro estudam levam uma vida normal e usam maconha sem prejudicar a sociedade.


Infelizmente o número de pessoas que fazem mal a outras pessoas é bem maior. A tentativa para que parem de usar drogas é realizada com bastante afinco, mas são tantos que vendem quanto os que usam e os policiais são poucos ainda e por isso fica em complicado de acabar com as vendas.

Com a liberação também seria muito complicado nas escolas, pois a droga seria vendida no seu interior e assim viciando mais e mais adolescentes que sempre querem experimentar de tudo. Sendo proibida já se costuma ficar perto de escolas vendendo imagine se liberada.

Vai ou não vai virar uma bagunça? Na verdade precisamos lutar para conquistar nossos ideais e se a liberação vai prejudicar a população então temos que lutar contra.

Atualmente um vício mortal e que está tomando conta é o crack em pesquisa no Diário das Ervas eles afirma que a Maconha é usada para combater os efeitos do crack. Temos sim que pensar em aprovar a legalização da maconha para o uso terapêutico o que já foi citado anteriormente, mas não tão fácil, pois envolve muitos senões como os efeitos colaterais e muitos outros.


 RSantos
9a. Edição
Projeto Entrelinhas



33a. Edição Opinativa
Projeto Bloínquês 




Imagens e pesquisas retiradas da NET

Um comentário:

Paulo Tamburro disse...

Concordo integralmente, com o lúcido posicionamento adotado por você, com relação a legalização da maconha.

A antiga e incorreta afirmação de segmentos desajustaddos e marginais da sociedade, de que a maconha é uma droga "leve" e não deveria ser proibida, é falaciosa e cientificamente, errônea.

No entanto, uma sociedade que sempre permitiu, incentivou e glamorizou o uso de outra droga maléfica como a nicotina e autoriza que hoje, nossa juventude viva enxarcada de álcool, tem nestas permissividades pretéritas, muito pouco juizos de valores,corretamente consensados, para negar com autoridade e coerência o uso de outras drogas , tão destrutivas, quanto estas que sempre aprovamos.

É por esta brecha, por este viés insensato,neste tropeço e escorregão dos hábitos e costumes sociais, admitidos e valorizados no passado, que infiltram-se
os "vodus da era moderna", que vivem entorpecidos nos corpos e na mente, pela devastação sombria do uso de todas as drogas à disposição no mercado.

O veneno de cobra sempre foi usado para a fabricação dos anestésicos cirúrgicos, assim como o môfo que viceja na umidade, foi o responsável por Alexander Fleming, ter descoberto a penicilina.

No entanto, nunca se tornou hábito entre as sociedades, ir para a selvas tomar picadas de cobra, pois, todo mundo sabe que a morte pode ser uma realidade.

Tambèm nunca soube de ninguém que viva lambendo as paredes, sugando o môfo das casas para tratar de uma infecção.

A cannabis sativa tem elemtos quimicos de valor farmacológico, sim, mas não enrolado "in natura" nos "baseados" como são fumados.

No entanto, temos que tirar a máscara da hipocrisia e dizer a verdade integral, pois a legalização da maconha não sai da mídia, pois além de na mídia encontrarmos "históricos consumidores", a elite e grande parte da classe média alta do Sudeste Maravilha,planta maconha em vasos e consome maconha em casa e na frente dos seus filhos.

São estes que vão para a orla maritima em dia de sol, vestindo o branco da degeneração social, pedirem a legalização da maconha e apoiados sim, sob a capa de reportagens isentas, por uma grande parte da mídia que elegeu como produtos de consumo preferencial os seguintes itens:

-Defesa incondicional do homossexualismo:

-Luta pela legalização do aborto;

-Repetidas campanhas pró-legalização da maconha;

-Reportagens extensas e constantes sobre pedofilia, só entre os padres católicos.

Então, muito mais coisas deveriam ser ditas e muitas outras verdades aqui colocadas, mas fico por aqui ,por receio de começar a ser acusado de querer colocar-me como o "Senhor da Verdade".

Um abração carioca.