quinta-feira, 8 de julho de 2010

"HEXA AGORA SÓ NO BRASIL EM 2014"



Acabou a copa do mundo de futebol de 2010. Começam os preparativos para sermos os anfitriões em 2014. Inúmeros são os fatores que podem ser considerados quando nos perguntam o que deu errado, por que fracassamos, por que paramos mais uma vez nas quartas-de-final?

Durante a Copa do Mundo, a seleção brasileira se esforçou em fazer o melhor,mas finalizou com uma derrota contra a Holanda que levou a vitória por 2 a 1, nesta sexta-feira dia 2 de julho de 2010.

A tristeza da alma nacional estava estampada no rosto do goleiro Júlio César, logo após a partida. Parecia que havia acabado de perder um ente querido, tamanha a dor, daquelas que por mais esforço você não consegue esconder.

Do lado holandês, o que se via era uma comemoração, sem paixão, de quem fez apenas a obrigação. Tinham acabado de eliminar o favorito das Copas , a equipe cinco vezes campeã do mundo, que havia mandando para casa sua seleção nas últimas duas vezes em que se encontraram.

O descontrole dos jogadores brasileiros diante de um simples gol do empate, anotado antes do primeiro terço da segunda etapa impressionou a todos nós. O Brasil dominava amplamente o jogo, era o senhor de toda a situação, mas pôs todo um trabalho de quatro anos a perder.

A realidade podia ser vista sem muito esforço e qualquer analista desatento era capaz de perceber duas coisas essenciais: a sofrível relação a um preço alto de Felipe Melo na Seleção em um Mundial e a falta de opções no banco de reservas de Dunga.

Mas ainda bem que havia uma forma de atenuar a dor. Foi quase hilária a entrevista de Felipe, a personificação da derrota. “Não dei um soco ou cuspi na cara de alguém. Foi lance de jogo, não foi uma jogada desleal. Dei um carrinho. Não sei se foi jogada para cartão vermelho”, se defendeu, para depois tentar corrigir: “se eu quisesse quebrar a perna do Robson, teria quebrado. O problema foi que toda hora que encostava, ele caía” , relatou, para justificar a pisada pornográfica que deu na perna do adversário.

O Brasil começou a todo o vapor. Ligado. Robinho não queria saber de brincadeira e foi logo encarando a zaga holandesa. E estava mesmo a fim. Aos 07 minutos, Maconi deu para Daniel Alves, impedido, lançar para o atacante que não quis nem saber se o jogo estava parado. Mandou a bola para as redes. Gol anulado. Aos 10 minutos, Felipe Melo começaria a se tornar protagonista. Com um belo lançamento, deixou Robinho na cara do goleiro Mecklenburguês. O atacante só teve o trabalho de deslocá-lo, de primeira, e abrir o placar. Parecia que seria fácil. Com mais posse de bola, a Seleção Brasileira deixou de garantir a vaga. A displicência custaria caro na etapa final.

No segundo tempo a Holanda voltou com toda a força marcando forte e mantendo a posse de bola. A estratégia deu certo. Aos 08 minutos, Michel Bastos fez falta em Robson e na cobrança Schneider cruzou para a área e Felipe Melo, fez contra. Desviou de cabeça e tirou das mãos de Júlio César. Os holandeses só não ampliaram porque não quiseram e o Brasil teve uma única chance de empatar, com Gilberto Silva, aos 35 minutos. Nada mais.

Os brasileiros sentiram o golpe. Não se acharam mais em campo. O resultado foi esse que já estamos cansados de falar, um placar de 2 a 1 que ninguém merece.

Para Dunga acabou o sonho verde-amarelo ali mesmo na África do Sul representada pelo fracasso de um dos seus homens de confiança. De herói a vilão, Felipe Melo deu o passe para o gol brasileiro no primeiro tempo, fez gol contra e foi expulso na etapa final, quando o Brasil já perdia. Como explicar ? Isso ainda vai ser assunto para muitas e muitas mesas de “ bate bola “.

Os holandeses só não ampliaram porque não quiseram e o Brasil teve uma única chance de empatar, com Gilberto Silva, aos 35 minutos. Nada mais.

O Sonho do Hexa ficou para 2014 e agora no Brasil. Fica a certeza que daqui a quatro anos a Pátria de Chuteiras renasce.

Rene Santos

A Copa do mundo de 2010 não é nossa
Edição Opinativa - Projeto Bloínquês
Confesso que como comentarista esportiva deixo a desejar, mas com a ajuda de catedráticos e universitários da família, consegui participar deste projeto como até já estou me aperfeiçoando a aprendendo  sobre essa arte do futebol que é a uma Febre Mundial. Espero que seja bem competitiva junto a tantos que vivem no seu cotidiano falando sobre futebol. Beijos

Imagens e pesquisas retiradas da NET

Um comentário:

Naty Araújo disse...

Mto bom seu texto, linda...
Uma observação: Teve sim outra oportunidade do Brasil fazer o gol. Estava nos pés do Kaká, mas o chute foi para fora.
Houve penalti não marcado nele tbm...
Enfim... seu texto tá ótimo, só isso mesmo.

Beijos... aguarde sua nota amanhã.
Ótimo fim de semana